Cidade
Foto: Arquivo/DAV

Reportagem: Cláudia Pletsch/DAV

Com os impactos gerados pela pandemia, a educação foi uma das áreas mais afetadas e as escolas tiveram que buscar de forma muito rápida, meios para que os alunos não deixassem de receber as atividades. Por isso, a Secretaria do Estado de Educação (SED), determinou uma mudança na forma de avaliação. Nesse ano os estudantes estão sendo avaliados por semestre e não por trimestre como era feito anteriormente, os semestres tiveram como referência os períodos de fevereiro a agosto, e de setembro a dezembro. Outra mudança é que além da avaliação efetuada pelo professor, as escolas estão tendo que preencher um roteiro avaliativo para todas as turmas, detalhando o aproveitamento dos alunos.

Em Rio do Sul, segundo informações da Coordenadoria Regional de Educação de Rio do Sul (CRE), a entrega das atividades se aproxima dos 80%, e segundo o supervisor Regional da CRE, Ernani José Schneider, a grande maioria dos estudantes entregou todas as atividades, um pequeno grupo fez a entrega de quase todas as atividades e um percentual menor não fez nenhuma entrega e agora passa pela busca ativa das escolas. Ernani ainda explica que o maior percentual de alunos está estudando de forma on-line e poucos estão recebendo os materiais de forma impressa. “Entre os alunos que estão estudando de forma on-line e de forma impressa existe um grupo que está tendo mais dificuldades para responder, e quando a gente não obtém respostas é feita uma busca ativa, que é a verificação do motivo pelo qual o aluno não responde ou o motivo de ele estar tendo uma resposta inadequada. As grandes dificuldades hoje passam a ser esse tempo, a quantidade de dias que a gente está em quarentena e a quantidade de dias em atividades não presenciais, ninguém queria e ninguém quer estar nessa situação, mas ela se deu e nós precisamos atender da melhor forma possível”, avalia.

O Supervisor ainda diz que o incentivo para os pais e alunos em relação à continuidade das respostas nessa etapa é essencial para que não ocorram reprovações. “De setembro a dezembro teremos o segundo semestre, e poderemos ter sim, por falta de encaminhamento de atividades a retenção dos alunos, então é essencial fazer esse apelo a sociedade e aos nossos alunos para que eles possam fazer essas atividades e nos devolver. Agora nós estamos buscando as famílias desses alunos que não entregaram para que eles o façam”, finaliza.

Os estudantes que apresentarem mais dificuldades e alcançarem média abaixo de seis em todas as matérias no semestre apenas terão acesso às notas com a solicitação dos pais ou responsáveis para que seja realizada uma recuperação do processo de aprendizagem. O fechamento das notas se dará no dia 18 de setembro, até lá os alunos que precisarem de recuperação, ou que não conseguiram entregar as atividades devem procurar a escola para buscar auxílio.