Sem categoria

A Junior Chamber International (JCI) de Rio do Sul comemorou nesta semana, 58 anos de sua fundação, quase seis décadas de história marcados pelo protagonismo e liderança.
O presidente de 2020, Jaison Marchese, destaca que atualmente a entidade conta com 87 membros inscritos, dentre eles, senadores e passados presidentes, além de 45 aspirantes.
A reunião comemorativa dos 58 Anos foi realizada na terça-feira (26) de forma online, mas estiveram presentes na sede, tomando as devidas precauções, o presidente, Jaison Marchese, o presidente do Clube do Senado da JCI Rio do Sul, Clovis Dorival Conzatti, o presidente subsequente da JCI Brasil, Marco José Poffo, além dos passados presidentes da organização, Rubens Augusto Schwarz Meslin, Juliano Muller, Márcio Cesar Matê e o imediato passado presidente Jordan Manschein, que foi o homenageado da noite com o descerramento de sua placa na Galeria de Passados Presidentes, acompanhado pelos demais membros e senadores (título por ter prestado relevante serviço à JCI) da entidade e também pelo prefeito municipal José Eduardo Rothbarth Thomé de forma online.
Na comemoração o passado presidente e senador, Arno Nardelli lembrou um pouco da história da JCI, enfatizando que a entidade iniciou com objetivo de treinamento de membros, que realizou vários projetos comunitários e atualmente busca formar líderes e empreendedores, mas que a essência sempre foi criar oportunidade. Destacou também que o senador Rodolfo Marzall Filho, um dos fundadores da entidade, que inclusive acompanhou a reunião virtual, é um exemplo de membro para a organização, por estar atuante nesses 58 anos de atividades da JCI Rio do Sul.
Jaison destaca também que a entidade teve que adequar todo seu calendário, que é definido em planejamento estratégico no ano anterior, em razão da situação da pandemia. Focada na capacitação de seus membros, a JCI Rio do Sul tem entre seus projetos do ano a Escola de Líderes, que busca a entrega de grandes lideranças locais para desenvolvimento da comunidade.
Além disso, ele destaca que no dia 10 de abril a JCI realizou, em parceria com empresas locais, o projeto Live do Bem, com apresentação de artistas locais, valorizando os músicos do município e região, que resultou em uma arrecadação de R$ 9.530,00, para aquisição de um kit de alimentos que nutre uma família de até quatro pessoas por um período de até 15 dias, em um total de mais de três toneladas de alimentos. Assim foram beneficiadas mais de 120 famílias em situação de necessidade, por levantamento junto à órgãos municipais oficiais.
Para se adequar às condições da pandemia, a JCI Rio do Sul passou a realizar suas reuniões plenárias de forma online, para que não fossem afetadas as atividades do ano. Segundo o presidente, essa adaptação pode ter sido brusca e causado uma certa resistência perante os membros, mas foi necessária. “E ao menos em partes, não haverá regresso, pois mostrou-se positiva pela quebra da barreira física de quem não possa estar acompanhando presencialmente”comentou.

História

A JCI de Rio do Sul nasceu de um distintivo ostentado na lapela de um júnior de Joinville. Foi no início de maio de 1962, quando Mário Lucas, Pedro Sidney Soares, Luiz Carlos Chedid e Rodolfo Marzall Filho se interessaram pelo movimento.
Quando Soares recebeu da Câmara Júnior de Joinville o material da entidade começou então o contato com os jovens rio-sulenses. Mesmo com muitos convidados, apenas nove pessoas compareceram na reunião de fundação da Câmara Júnior em Rio do Sul, que aconteceu no dia 25 de maio de 1962, são eles: Álvaro Noveletto, Américo Vespúcio de Souza, Alceu Diotallévy, Donato Ramos, Idalgo Nascimento, Jamil Abdalla, João Antônio dos Santos, José Valdir Floriani, Luis Carlos Chedid, Onésio Andreatta, Pedro Sidney Soares, Rodolfo Marzall Filho e Wigang Kruger.