Especial
Foto: Helena Marquardt/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Ela sempre quis ser mãe, mas nunca fez questão que o filho saísse da própria barriga. A comerciante Célia Krenzlin, de Rio do Sul, conheceu Houchan com poucos dias de vida e não se importou com a tetraparalisia e os problemas de saúde que o bebê tinha, soube no instante em que o viu que aquele seria o grande amor de sua vida. Hoje 26 anos depois o tempo só mostrou que o sentimento cresce a cada dia e que os laços de afeto permitem que eles se entendam sem trocar nenhuma palavra.

Célia lembra que sempre teve o desejo de adotar e que essa convicção falou mais alto antes mesmo de pensar em fazer qualquer tratamento para engravidar. “Sempre pensei que existia tantas crianças no mundo precisando de uma família e que um dia eu adotaria uma delas”, lembra.

O desejo se tornou realidade de uma hora para outra ao saber de um bebê recém-nascido que precisava de uma família. Em poucos dias ela conheceu Houchan e garante: foi amor a primeira vista. “Quando o vi parecia que tinha saído de mim. Desde então a gente vive por ele e faz tudo para que ele seja feliz. Graças a deus apesar dos problemas ele tem bastante saúde. Ele tem um tipo de paralisia que afeta a coordenação, mas é muito inteligente e maravilhoso”, se orgulha a mãe coruja.

Logo depois da adoção ela relata que se mudou de Trombudo Central para Rio do Sul para ficar mais perto da mãe que ajudaria nos cuidados com o bebê. Para ficar com Houchan o maior tempo possível Célia passou a costurar em casa e alguns anos depois teve a oportunidade de adquirir uma loja no Centro da cidade. Mesmo trabalhando no comércio ela levava o filho para a loja todos os dias e o menino cresceu sempre sobre os olhos atentos da mãe. “Ele ia meio período na Apae e depois vinha para a loja. Sempre deu tudo certo para ficarmos bastante tempo juntos e somos muito apegados”.

No Dia das Mãe a comerciante garante que seu maior presente é poder estar ao lado do filho e vê-lo feliz  apesar das limitações que juntos eles aprenderam a vencer dia a dia.  Um exemplo disso é que o jovem, hoje com 26 anos, é quem escolhe o jantar diário. Apenas com o olhar Célia já entende qual o cardápio do dia Houchan prefere e cozinha com amor para agradar o filho. “Lá em casa ele é quem escolhe, a gente vive em função dele. A coisa mais maravilhosa que pode existir é um filho e deus me deu um ainda mais especial e sou muito grata”, ressalta.

A lição de amor de Célia serve de exemplo para outras mulheres e para este domingo (9) ela faz questão de desejar um Feliz Dia das Mães, independente de serem de sangue ou de coração e mostra que o amor não tem limites.  “Quero desejar um feliz Dia das Mães a todas pois que sei que elas merecem tudo de melhor. Que possam comemorar essa data ao lado dos filhos com muita saúde” , finaliza.