Alto Vale

Reportagem: Gabriela Szenczuk

O quarto mês do ano, com o Abril Laranja, vem relembrar e alertar sobre a importância da prevenção contra os maus-tratos animais. Sejam eles de estimação ou não, os bichos são seres sencientes, ou seja, dotados de natureza biológica e emocional e passíveis de sofrimento. No Alto Vale do Itajaí, além dos cuidadores e protetores animais, há apenas uma instituição que tenta abraçar a maioria das causas da região. Só em Rio do Sul em média é registrada uma denúncia de maus-tratos por dia.

A Associação Protetora de Animais Desamparados (Apad), não tem sede, funcionários ou veterinários próprios, mas conta com voluntários que estão sempre lutando contra os casos de maus-tratos que aparecem diariamente. Em comemoração à campanha nacional do Abril Laranja, a entidade reforçou em suas redes sociais e canais de comunicação que maltratar é crime e os maus-tratos aparecem das mais variadas formas no cotidiano. É considerado crime, por exemplo, manter o animal em local anti-higiênico – privando da luz, do sol ou deixar exposto às condições do tempo – submeter o animal a trabalhos excessivos, deixar de fornecer água ou alimentação, não prestar assistência necessária em relação a vacinas ou doenças, além de bater, maltratar ou golpear o bicho.

Para combater esse tipo de crime, no início deste ano a Prefeitura da Capital do Alto Vale aderiu a uma unidade móvel de fiscalização de animais de rua ou maltratados e, em caso de necessidade, a orientação é que o cidadão acione o Setor de Proteção Animal através do número (47) 3531-1146 e peça pelo número do WhatsApp para que seja feito o envio de mais detalhes do crime, com fotos e endereço completo. É importante lembrar que o serviço não recolhe animais, mas faz o resgate e encaminha à Apad para oferecer a assistência necessária, a castração e encaminha à adoção. Além disso, a Prefeitura ainda ressalta que o denunciante segue em anonimato total.

Se a cidade não há um setor responsável ou protetores de animais que possam auxiliar no resgate, em municípios vizinhos as denúncias podem ser registradas como boletim de ocorrência diretamente na Delegacia de Polícia.

A Apad

A Apad é referência no Alto Vale do Itajaí sendo a única instituição que tem registro de utilidade pública municipal e estadual na região. De acordo com a diretoria da instituição, só no passado foram mais de 1.400 animais castrados e 400 tratamentos clínicos realizados. Também foram R$ 358 mil investidos em ração para os resgatados, que ficam em lares temporários até serem adotados, tratamentos veterinários, e outros gastos necessários para suporte de atendimentos.

Bichos não são mais objetos

No ano passado o Senado Federal aprovou um Projeto de Lei que trata bichos como seres e não mais como objetos. O projeto segue para aprovação, mas se houver a mudança na legislação, eles ganham personalidade jurídica e poderão ter direito à instrumentos como habeas corpus, por exemplo.