Alto Vale
Foto: CRS/DAV

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O aeroporto Helmuth Baumgarten, em Lontras, pode ajudar no desenvolvimento do Alto Vale, visto que possibilita deslocamentos mais rápidos, o que pode atrair olhares de empresários para a região. Embora ainda não estejam disponibilizando voos comerciais porque dependem da aprovação do balizamento noturno, empresas já trabalham com fretamento de aeronaves e táxi aéreo. Um bom exemplo é o voo contratado por empresários de Pouso Redondo nesta quinta-feira (29).

Embora os serviços de fretamento e táxi aéreo já tenham sido realizados algumas vezes, na manhã desta quinta-feira, será realizado o primeiro com autorização para divulgação. Dessa vez uma empresa de Pouso Redondo contratou os serviços da iFLY para participar de uma reunião de dois projetos importantes, a nova sede da prefeitura de Sarandi, no Paraná e a ampliação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) de Chapecó.

A aeronave sairá com nove pessoas mais o piloto e copiloto e deve passar primeiramente por Chapecó e depois seguirá viagem até o Paraná. Como Lontras está aguardando a aprovação do balizamento noturno, a aeronave de nove lugares, a maior da frota, foi deslocada nesta quarta-feira (28). “O balizamento noturno é muito aguardado por todos nós da aviação porque vai permitir operação 24h, um tipo de estrutura que coloca Lontras à frente da maior parte dos aeroportos públicos de Santa Catarina, até mesmo de Blumenau. Esta é uma excelente iniciativa da Administração de Rio do Sul, que vai beneficiar todo o Alto Vale, como já está acontecendo. Essa empresa que nos contratou é de Pouso Redondo e é mais um indicativo de que toda a região ganha com essa obra”, afirma.

De acordo com um dos representantes da empresa que presta os serviços de táxi aéreo, Filipe S. de Andrade, o que mais atrai os empresários para essa modalidade de voo é a otimização do tempo, já que para ir até os principais aeroportos de Santa Catarina, como Navegantes ou Florianópolis, a viagem é demorada. “Hoje é possível voar de Lontras a São Paulo em 1h30 e isso quer dizer que o tempo que você leva para se deslocar até os aeroportos de Florianópolis ou Navegantes, dá para ir e voltar com a nossa aeronave a partir de Lontras. Esse ganho de tempo é que chama atenção dos empresários e entidades”, comenta.

Ele ainda ressalta que a viação é dividida em vários segmentos e que as companhias aéreas operam em apenas 100 pistas do Brasil, no entanto, o país tem mais de 2.6 mil pistas. “A gente está falando de 2.500 pistas que não são alcançadas pela viação comercial, pelas grandes companhias. Aí surge a viação executiva, o táxi aéreo que consegue deslocar passageiros de qualquer lugar, a qualquer horário, sem depender de escalas, conexões ou aeroportos distantes do ponto de partida e essa é uma solução que tem agradado muito na região”.

Como funciona o táxi aéreo?

O táxi aéreo trabalha com cotações de voo, o cliente informa o número de passageiros e a empresa indica a aeronave. Além de táxi aéreo tradicional existe o voo compartilhado, e pessoas com destinos em comum podem dividir o valor entre os ocupantes.