Cidade
Foto: Divulgação

O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, assinou na manhã de quarta-feira (2), o termo de cessão de uso de um prédio do município localizado na rua 15 de Novembro, para a Associação de Familiares e Amigos de Pessoas com Autismo e Deficiência Intelectual e Múltipla de Rio do Sul (Afadi).

Com presença de membros da entidade e de convidados, Thomé destacou que era motivo de grande emoção poder promover este tipo de ação em benefício de uma entidade tão atuante como a Afadi. “Como pai de autista, reconheço que o esforço do poder público, da iniciativa privada e de parcerias, é cada vez mais importante e fundamental”, disse.

Thomé disse ainda que por realizar um serviço considerado fundamental para a sociedade, em breve será contemplada por convênio, já que precisa de auxílio para custeio de despesas com profissionais e equipamentos.

O prédio que era antes utilizado para o Centro POP, na rua 15 de Novembro, dará lugar às estruturas de atendimento para pessoas enquadradas no serviço da Afadi. “No futuro teremos apoio de psicólogo, fonoaudiólogo, educador físico, neuropediatra e outros profissionais e estruturas de apoio importantes para estas pessoas”, disse o prefeito.

Em entrevista ao Jornal Diário Alto Vale, em dezembro de 2021, a presidente da Afadi, Rita Schlemper, afirmou que a Associação surgiu há algum tempo de forma independente e passou por diversas locações até conseguir o repasse de uma infraestrutura da prefeitura para os atendimentos.

“Num primeiro momento tivemos um convite do Naae para irmos junto ao endereço onde tinha uma creche, um centro de educação infantil, mas percebemos que o espaço seria pequeno para poder clinicar. Em conversa com o poder público recebemos a notícia que seria desocupado o Centro POP e a Afadi seria a beneficiada com este imóvel e é exatamente o que nós precisávamos”, afirmou.

Agora, com uma melhor estrutura, a Afadi faz planos para melhorar os atendimentos disponibilizando uma equipe multidisciplinar para atender as crianças. A intenção, ainda de acordo com entrevista ao DAV, seria disponibilizar fonoaudióloga, psicóloga e terapeuta ocupacional, fisioterapeuta e educador físico, mas tudo isso ainda depende de convênios que poderão ser recebidos através da prefeitura.