Alto Vale
Foto: Reprodução/Afubra

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A safra 2020/2021 foi difícil para os fumicultores da região em razão do granizo que por várias vezes atingiu lavouras de tabaco de diversas cidades causando prejuízos nas plantações. Para os associados da Associação dos fumicultores do Brasil (Afubra) que liquidaram as ordens de pagamento, os valores dos auxílios do Sistema Mutualista começaram a ser repassados nessa terça-feira (23). No Sul do país quase R$ 116 milhões devem ser pagos. No Alto Vale, 6.320 associados foram atingidos e devem receber algum valor de acordo com avaliação de prejuízos.

A criação do Sistema Mutualista foi motivada pelas dificuldades dos agricultores em relação à comercialização de tabaco e pela inexistência de um aporte financeiro em caso de ocorrência de prejuízos causados por tempestades de granizo. Segundo o inspetor regional da Afubra, Jonas Darolt, no Alto Vale várias cidades foram atingidas, entre elas Vidal Ramos, Witmarsum, Petrolândia, Ituporanga, Atalanta e Chapadão do Lageado, mas a primeira liberação dos valores contempla apenas os associados que liquidaram suas ordens de pagamento até o dia 9 de fevereiro de 2021.

O montante da primeira parcela é de R$ 42,5 milhões, ou seja, mais de 40% do valor estimado de pagamento até o momento. “O dinheiro é repassado de forma integral e obedece rigorosamente a forma optada pelo produtor no momento da inscrição da lavoura”, diz o tesoureiro da entidade, Marcílio Laurindo Drescher.

Ele diz ainda que, passada a data da primeira liberação, os demais pagamentos passam a ser semanais. O encerramento acontece quando o processo atinge todos os fumicultores com direito ao benefício. Até o momento, a Afubra já contabiliza R$ 115.922.051,00 em auxílios a pagar aos associados. “Esse valor é referente apenas aos auxílios para as lavouras atingidas pelo granizo, pois os valores referentes à queima de estufas e auxílio funeral sempre são quitados na sequência à solicitação, no caso do auxílio funeral, e da avaliação, no caso da queima da estufa”, explica o tesoureiro.

Ele destaca que a safra passada encerrou com R$ 80.779.213,19, no total de auxílio pago por incidência de granizo em lavouras de tabaco, cerca de R$ 35 milhões a menos que o valor da safra 2020/2021. “Por isso, a Afubra mantém o fundo de reserva. Para que possamos garantir que todos os associados recebam seus benefícios”.

Moacir de Souza mora na comunidade Dona Luíza, em Atalanta. Além de agricultor, ele é procurador da Afubra e trabalha com o plantio de fumo há 35 anos. Ele conta que teve a lavoura atingida quando os pés estavam pequenos e por isso conseguiu recuperar com muito trabalho uma parte da produção. “Eu tinha 80 mil pés plantados e a Afubra pagou cerca de nove folhas por pé. O fumo se recuperou um pouco, então o auxílio praticamente cobriu as despesas da área prejudicada. Claro que não produziu o que iria produzir sem o granizo, mas o que a gente perdeu ali, a Afubra cobriu”, comenta.

Moacir conta que para poder solicitar esse auxílio da Associação, após ocorrer a perda, a lavoura precisa passar por análise. “O avaliador disse que a minha safra foi a metade. O fumo perdeu o crescimento, nós adubamos novamente para tentar recuperar, mas muitos picaram tudo e plantaram soja, mas como eu tinha bastante precisei recuperar um pouco e então uma parte deu, mas ficou pela metade a produção”, completa.

Fechamento de dados

Nesta safra, somente em Rio do Sul e Ituporanga, 6.325 produtores foram atingidos pelo granizo. Se comparado a safra 2019/2020, o número mais que duplicou. No último fechamento de dados, ocorrido no dia 6 de fevereiro, o Departamento de Mutualidade da Afubra contabilizou 23.740 lavouras atingidas por granizo, desde o início da atual safra de tabaco. Na safra passada, no mesmo período, foram 20.197 atingidos. Os números da safra 2020/2021 ainda não são definitivos, visto que há regiões produtoras que ainda não concluíram a colheita. “Ainda temos tabaco para ser colhido em municípios da região Sul do Rio Grande do Sul e no Norte catarinense. E, o clima, nos últimos dias, tem sido rigoroso com a precipitação de granizo, pois, somente esta semana, tivemos mais de 500 lavouras atingidas”, finaliza Drescher.