Alto Vale
Foto: Arquivo pessoal

Um agricultor trocou a produção de leite por amoras. Seu Raimundo Dahlke, que tem uma propriedade na localidade de Pouso da Caixa, na divisa entre Pouso Redondo e Trombudo Central, e conta hoje, com cerca de seis mil pés da fruta e de acordo com ele, a produção e comercialização vem crescendo a cada ano. As amoras são da espécie Rubi e, além disso, ele produz tomate e morangos há mais tempo para complementar a renda.

“Nós acabamos percebendo que a produção do leite era para quem trabalhava com uma grande quantidade e para o grande produtor, nós tínhamos uma média de 380 litros de leite por dia. No fim, acabou que não tinha mais tanta lucratividade e não valia a pena, foi aí que decidimos partir para outra atividade agrícola. Inicialmente começamos com a produção do morango e agora, estamos cultivando há um ano a amora e o tomate” destacou.

Em relação ao manejo, ao controle de pragas e as doenças, Raimundo conta que a principal dificuldade não é essa, mas sim, a mão de obra.

“Hoje trabalhamos somente de modo familiar, na questão de pragas e doenças trabalhamos com o método convencional, mas buscamos controlar de forma biológica também, pois utilizamos o controle químico, porque a produção ainda é maior”, disse.

Foto: Arquivo pessoal

O agricultor comenta ainda que em relação às vendas, o tomate e o morango estão bem aceitos, mas como o cultivo da ameixa é uma novidade na região, muitas pessoas ainda não conhecem a fruta.

“O tomate e o morango, sempre vendemos muito bem, mas a amora é a nossa primeira safa, ainda não temos uma previsão de ganho, pois ainda estamos vendendo amora congelada. Acreditamos também que a partir do momento que as pessoas conhecerem a amora nossa produção será ainda maior e mais lucrativa”, disse.

Já sobre a mão de obra, o agricultor pontua que conta com ajuda da prefeitura.

“Temos ajuda da prefeitura na questão do maquinário para o preparo da terra, o que nos ajuda bastante a obter um maior desempenho e agilizar a nossa atividade agrícola. Logo, a prefeitura e a Secretária da Agricultura acabam nos dando esse apoio”, comenta.

Em relação à comercialização, o agricultor destaca que algumas vendas são entregues e outras o próprio interessado vem procurar, além disso ele participa das feiras agrícolas.

“Vendemos para mercados, algumas pessoas próximas outras de fora, que muitas vezes, acabam conhecendo por intermédio de outras pessoas. É muito bom esse reconhecimento e saber que as pessoas nos procuram pela qualidade dos nossos produtos”, destaca.

Em relação à assistência técnica na propriedade, Raimundo explica que na região ainda há falta de profissionais na área da amora. “Na nossa região, notamos que não há pessoas especializadas nessa área, então precisamos de assistência fora da região. Acredito que com o maior conhecimento da fruta, essa realidade tende a mudar”, disse.

Um dos clientes e proprietário de um supermercado em Pouso Redondo, Elmir Losi, destaca que as frutas são diferenciadas e quem compra uma vez, acaba comprando novamente.

“Eu compro desde o final do ano passado, e inclusive tive que dobrar as compras para minha venda, pois o pessoal está procurando muito, além disso, a embalagem deles é outro diferencial positivo. Eu recomendo os produtos da propriedade do senhor Raimundo Dahlke”, finalizou.

O secretário de Agricultura de Trombudo Central, Leirson Vicente, destaca que novas culturas são importantes para incrementar principalmente as feiras.

“A propriedade do Raimundo vem diversificando as atividades na região, com a cultura da amora e o abrigo protegido com morangos, além disso, é um ponto de referência da região, pois mostra que a agricultura pode ser diversificada e podemos migrar de uma atividade agrícola para outra, mantendo uma excelente rentabilidade e garantindo a vida na agricultura”. comentou.

Tatiana Hoeltgebaum