Alto Vale
Foto: Alan Garcia/DAV

Cláudia Pletsch/DAV

Uma lavoura com 90 mil pés de rosas no bairro Baixo Amuado em Laurentino, é uma verdadeira beleza para os olhos, mas além de trazer encanto, a plantação também fornece o sustento de duas famílias durante o ano inteiro. As mudas produzidas na propriedade do Tiago Zacarias e do sócio Reni Wenz são vendidas para diversos estados, como Paraná, São Paulo e Minas Gerais.

Plantar rosas numa região onde as lavouras de arroz, milho e fumo são mais comuns é um tanto quanto inusitado, mas a paixão pelas flores não surgiu por acaso na vida do Tiago, ele herdou a vocação da família e trabalha com esse cultivo desde criança. “Na verdade eu aprendi com meu pai. Desde os sete anos de idade que eu venho trabalhando junto com meu pai, ele trabalhava fora com o pessoal que fazia os enxertos e então me carregava junto para que eu não ficasse nas estradas e quando eu tinha 16 para 17 anos já tinha minha própria lavoura”, conta.

Os produtores cultivam 10 cores diferentes de rosas, desde as mais clássicas, como a vermelha, branca e rosada, até as mais distintas como a champanhe, amarelo ouro e a príncipe negro. Mas por lá os botões são descartados e somente as mudas são vendidas. Tiago conta que para poder trabalhar com esse tipo de cultivo existe muita técnica e muito estudo, ele comenta que costuma fazer testes na propriedade todos os anos, com o intuito de aperfeiçoar a produção.

Além de receber na propriedade diariamente dezenas de pessoas que tiram fotos e apreciam a plantação, o Tiago conta que a procura pelas mudas é tanta que teve que tirar a identificação de vendedor da entrada da propriedade. Hoje, cada comprador chega levar em média 35 mil mudas por vez. “A gente vende para as floriculturas aqui da região, para o estado do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, então já temos uma clientela bem formada”, completa.

E para conservar as mudas um processo cuidadoso de corte é realizado. Depois de separadas elas são embaladas e guardadas por alguns dias num local úmido onde esperam a chegada do comprador.

Mesmo com o trabalho árduo dia após dia embaixo do sol e com as mãos marcadas pelos cortes causados pelos espinhos, a plantação é o maior orgulho do Tiago, que trata com carinho as roseiras que são suas melhores amigas desde a infância.