Estado
Divulgação

 

Considerada atividade essencial, a entrega de alimentos em domicílio é uma das modalidades permitidas pelos decretos do Governo de Santa Catarina que estabeleceram o isolamento social como condição para frear a disseminação do novo coronavírus no Estado. Preocupados em manter seus clientes abastecidos neste período, muitos agricultores optaram por iniciar ou incrementar esse serviço no período de quarentena.

 

As experiências se multiplicam pelo território catarinense e provam que crises podem abrir oportunidades interessantes. Para muitos agricultores que destinavam alimentos para merenda escolar, as entregas têm sido a alternativa para escoar a produção e evitar prejuízos. O mesmo ocorre com aqueles que comercializavam seus produtos em feiras livres que, por enquanto, estão suspensas em alguns municípios por decisão dos agricultores.

 

Há os casos de produtores que já faziam delivery e viram essa modalidade crescer nos últimos dias. Em todos os casos, a Epagri segue dando suporte para que a agricultura familiar não pare nesse momento tão delicado. Todas a entregas são feitas com os cuidados recomendados para evitar a proliferação do novo coronavírus. Veja e contacte quem está entregando na sua região, garantindo alimentação saudável para sua família e renda aos agricultores locais. A hora é de fortalecer a economia local.

 

Ricardo Pilger, agricultor de Joaçaba, já entregava orgânicos para alimentação escolar e contava com uma carteira de cerca de 90 clientes, em seu município e nos vizinhos Herval d’Oeste e Luzerna, para quem fazia entregas em domicílio há dois anos e meio. Com a interrupção do fornecimento para as escolas, ele correu em busca do apoio da Gerência Regional da Epagri em Campos Novos, que trabalhou no fim de semana para preparar uma imagem publicitária e lhe ajudar na divulgação do delivery.

 

A maioria de seus clientes da habituais era da Unoesc. Com a interrupção das aulas, muitos retornaram às casas de suas famílias, o que derrubou a demanda. O incremento na divulgação com apoio da Epagri, fez com que, entre o sábado, 28 de março, e a quarta-feira, 1º de abril, ele acrescentasse 111 clientes em sua lista de entregas, um crescimento superior a 100%, como ressalta.

“Em pouca horas o telefone não parava mais de tocar e os pedidos iam chegando”, comemora ele, que espera mais 30 ou 35 fregueses novos até o sábado, 4 de abril.