Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A prefeitura de Agrolândia deu início ao processo de restauração da casa da família Prochnow, construção histórica da década de 30 que pegou fogo em 2018 e que agora será totalmente revitalizada para ser transformada em um espaço de memória e acolhimento aos turistas que chegam ao município.

A reconstrução do imóvel no bairro Ipiranga, que é um dos mais antigos da cidade, será feita em parceria com o arquiteto Frank Dieter Schulze e curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi).

De acordo com o prefeito de Agrolândia, José Constante, houve sugestões de que a casa fosse levada para o parque da Fecol, porém o município optou por mantê-la no mesmo local em que foi construída. “Contratamos uma empresa para fazer o projeto, gerenciada pelo professor Frank Dieter Schulze e os alunos dos cursos de engenharia civil e arquitetura, acompanhados pelo Frank e pela professora Maristela Macedo Polezza, eles vão fazer esse acompanhamento da execução. Decidimos deixar no mesmo local, vamos só aumentar o nível para deixar na altura da SC”.

Ele informa que o edital para contratação de mão de obra especializada deve ser lançado na próxima semana e o processo terá início logo em seguida. “Serão pedreiros e carpinteiros com experiência em restauração na técnica enxaimel justamente pensando na preservação”, disse.

Por enquanto o município não tem estimativa do valor que terá que ser investido na revitalização nem do prazo final para a recuperação já que o trabalho é bastante delicado e o imóvel está em condições precárias desde que pegou fogo em 2018. Na época o telhado foi completamente comprometido.

Constante revela ainda que a intenção é que no futuro a casa Prochnow seja um ponto de acolhimento dos turistas e também um espaço de preservação da história. “A restauração será feita com bastante calma pensando na qualidade do trabalho, mas o que podemos adiantar é que será um local para mostrar a história da colonização da cidade com exposição de objetos e imagens antigas”.

O Imóvel está em processo de tombamento estadual e também deve ser tombado pelo Município para que a originalidade seja preservada. O município só recebeu a posse definitiva do imóvel no fim de 2016, já que a área estava em processo de desapropriação judicial. O valor pago pelo terreno foi de R$ 211 mil. Todo processo que envolve a restauração e o tombamento da casa Prochnow é acompanhado pelo Conselho Municipal de Turismo (Comtur) e por um grupo de pessoas da comunidade que luta pela preservação do patrimônio histórico.

Casa de um dos primeiros colonizadores

A casa Prochnow é um dos imóveis mais antigos do município de Agrolândia, o edifício foi construído na década de 30, quando foi iniciada a colonização da cidade. Seus primeiros moradores foram Leopoldo Prochnow e família. Na época os herdeiros venderam a propriedade para uma grande indústria local que pensava em investir no lote, mas por questões legais isso nunca foi feito. Anos depois, o local ficou abandonado e passou a ser utilizado por andarilhos.