Alto Vale
Foto: ONG Amor de Cão

A Organização Não Governamental (ONG) Amor de Cão, de Agrolândia, realiza entre os dias 15 e 17 de dezembro, o 1º Mutirão de Castração de cães e gatos. O objetivo é atender famílias que possuem animais que podem ser esterilizados, mas que possuem baixa renda. O trabalho conta com o apoio da Prefeitura de Agrolândia, que cedeu o Parque da Fecol e do Instituto Bem Animal, responsável pelos procedimentos cirúrgicos.

O prazo de inscrições se encerra no dia 10 de dezembro e as vagas são limitadas. Quem tiver interesse pode procurar a Biblioteca Municipal de Agrolândia e também o Posto Piske. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone 99238-3680.

O integrante da ONG, Leonardo Falchetti, explica que os valores cobrados pela castração durante o mutirão serão acessíveis, já que conta com a parceria do Instituto Bem Animal, que fará a castração. “Nós tentaremos castrar animais de rua. Mas para isso precisamos de pessoas que se disponibilizem a ficar com o animal no pós-operatório”, destacou Falchetti.

O principal objetivo da ONG é evitar a superpopulação de animais de rua, proporcionada principalmente pelas crias indesejadas. O Projeto é aprovado no Conselho Regional de Medicina Veterinária e será realizado por profissionais que já atuam na área.

ONG de Amor de Cão

O trabalho da ONG em Agrolândia tem menos de um ano de existência, porém, já alcançou objetivos importantes. Uma das principais atividades realizadas foi o trabalho de orientação sobre os problemas causados pelo abandono de animais.

Falchetti, que é Publicitário, criou um folder que foi trabalhado junto às escolas do município onde o tema foi discutido entre os alunos e seus pais. “Recebemos um importante apoio da prefeitura na realização desse trabalho que foi muito bem recepcionado nas escolas”, conta.

A própria logomarca da ONG Amor de Cão, surgiu de um trabalho realizado na rede municipal de educação. Foi realizado um concurso onde diversos alunos apresentaram seus desenhos. “O Leo transformou esse desenho vencedor na logomarca, portanto, desde o início buscamos envolver a sociedade nesse trabalho”, conta Renata Gullini, membro da ONG.

Além disso, pelo menos 11 casinhas estão distribuídas na área central do município e servem como ponto de abrigo e alimentação para os animais de rua. As casas são pagas com recursos de empresários parceiros da iniciativa e a logomarca da empresa é colocada na casinha, tornando-se uma ação de divulgação positiva. “Eu me inspirei em um lindo trabalho feito em Lages e que deu muito certo”, conta Leonardo.

Outra proposta que deve ser viabilizada pela ONG no ano que vem, é a criação de uma Lei Municipal que puna financeiramente autores de maus tratos de animais. “Temos a Lei Federal, que é justa, mas muitas vezes não é cumprida. Acreditamos que se impactar no bolso, ela poderá alcançar mais resultados”, conta Leonardo.

O texto da lei está sendo baseado na legislação municipal de Lages e Blumenau.

Atualmente a ONG Amor de Cão conta com cerca de 10 voluntários ativos, além de um grupo de parceiros que dá suporte às ações. Já foram realizados dois brechós e um pedágio no município, para a arrecadação de recursos que mantêm a entidade.

Rafael Beling