Alto Vale
Foto: Rafaela Correa/DAV

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O Governo do Estado atualizou nesta quarta-feira (9), a matriz de risco, que consiste em um relatório divulgado semanalmente com informações referentes à possibilidade de contágio nas regiões. Segundo o mapa, após seis semanas na cor vermelha que representa risco gravíssimo, a região do Alto Vale caiu para grave e está no alerta laranja para propagação da Covid-19.

Com a mudança na matriz de risco, algumas flexibilizações poderão ocorrer. Segundo o secretário executivo da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi), Roberto Tchumi, não haverá nova reunião com prefeitos, já que na resolução divulgada na semana passada os municípios foram autorizados a agir de acordo com a orientação estadual, a partir do momento em que a região mudasse do gravíssimo para o grave.

De acordo com o secretário, a mudança na classificação deve possibilitar a flexibilização de algumas atividades como é o caso das arenas de futebol e serviços públicos. “Como caímos para a cor laranja, com muito trabalho que a gente teve e que os prefeitos também tiveram, duas atividades foram impactadas, que são o funcionalismo público municipal, estadual e federal, ou seja, as prefeituras podem trabalhar com até 30% de público e também a questão da Portaria Nº 664, que trouxe a possibilidade das regiões quando ficarem no laranja começarem com a retomada do futebol, então aquelas atividades de arena, clubes de futebol precisam ter um regramento específico que a portaria traz. É muito importante que cada um dos donos dessas arenas, desses campos de futebol, faça o cumprimento dessas exigências sanitárias e às prefeituras cabe autorizar de acordo com a própria portaria essas atividades”, explica.

Ele diz ainda que o Estado deverá editar portarias com protocolos para cada uma das atividades e que apesar da nova classificação da matriz de risco, há dificuldade em relação ao isolamento social. “Acredito que a partir de agora o Estado esteja editando portarias de cada atividade e ele vai fazendo regramento para cada uma das atividades a ser menos restritiva, até porque a nossa região está em um isolamento social abaixo do recomendado, como a grande maioria do estado. Nós temos uma dificuldade com isolamento social, também tem a diminuição, investigação e a testagem do isolamento dos casos que também é uma questão que impacta a nossa região”, comenta.

Questionado sobre a abertura dos leitos covid-19 no Hospital de Ibirama, Roberto disse que a taxa de ocupação é de menos da metade. “Graças a Deus a gente abriu os 10 novos leitos de UTI, agora no dia 7 em Ibirama, no Hospital Dr.Waldomiro Colautti e trouxe a ocupação dos leitos a menos de 50%. Na semana passada já estava com 50% e agora estamos com bem menos dessa ocupação na região”, completa.

Em Rio do Sul, a Administração Municipal já publicou novo decreto revogando um artigo anterior que suspendia diversas atividades. Segundo informações repassadas pela assessoria de comunicação, ficam autorizadas as atividades esportivas de futebol recreativo nos estabelecimentos privados próprios, tais como, ginásios, arenas esportivas e quadras, desde que não caracterize competição. Além disso, o horário de funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes que antes era restrito, passa a ser livre, de acordo com o desejo do proprietário, bem como a apresentação de música ao vivo, no entanto, todas as medidas sanitárias como higienização, distanciamento, uso de máscara ou outras medidas necessárias para a prevenção ao vírus continuam valendo.