Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A realidade virtual é uma tecnologia que costuma aparecer em séries e filmes futuristas. Ela é caracterizada pelo uso de óculos especiais que permitem que o usuário se sinta dentro de um mundo digital, conseguindo interagir através de movimentos. Para proporcionar uma experiência mais próxima da realidade aos alunos de engenharia de software da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) de Ibirama alunos e professores criaram um jogo.

Normalmente esse tipo de tecnologia tem um custo alto e é inacessível para a maior parte das pessoas, mas também é possível experimentar a realidade virtual usando o celular android encaixado dentro de uma caixa-óculos que custa em média R$70- a VR Box.

Pensando nisso, o laboratório GameLab da Udesc Alto Vale vem desenvolvendo um jogo como ambiente de aprendizado para que os alunos do Curso de Engenharia de Software possam praticar uma das tarefas mais essenciais no desenvolvimento de software: a elicitação de requisitos, de forma virtual. Essa é uma fase de captação de informações com o cliente, que inclui entrevistas, investigação de ambiente, estudo de documentos e processos das empresas com que vão trabalhar. Portanto uma fase bastante difícil e que será facilitada com o jogo que simula empresas reais, permitindo que o acadêmico entreviste pessoas e explore a empresa em busca de documentos e processos para entender o funcionamento do negócio do cliente.

O desenvolvimento da ferramenta está sendo feito pelos alunos Gustavo Vargas de Andrade, Mateus Coelho Nosse, Lucas Waterkemper Alberton , Luis Felipe Kuster e os professores Adilson Vahldick, Marilia Guterres Ferreira e Pablo Schoeffel.

Um dos desenvolvedores do jofo, o aluno Gustavo Vargas de Andrade explica que os trabalhos iniciaram com pesquisas na área. “Foram lidos mais de 5000 artigos sobre projetos de engenharia de requisitos e de realidade virtual. Elegemos os que mais se alinhavam com o nosso objetivo para termos como base da construção do nosso jogo. A partir dai discutimos como seria o funcionamento, o principio geral é que ao entregarmos o jogo ao público os alunos poderiam testar e utilizar a realidade virtual como uma forma de complemento às aulas de engenharia de requisitos, vivenciando um cenário mais real de como as coisas se comportam”, esclarece.

Ele ainda afirma que assim que for finalizado os alunos farão testes e com o feedback poderão melhorar o jogo.

Para um dos professores participantes do projeto, Adilson Vahldick comenta que o projeto “Realidade Virtual na Engenharia de Requisitos” é uma forma de possibilitar a prática de atividades do curso com custo mais baixo e liberdade de tempo. “É possível experimentar a Realidade Virtual com seus celulares e uma caixa-óculos de R$ 70. Nessa perspectiva, o projeto pretende instrumentalizar os alunos para que possam exercitar a atividade de elicitação de requisitos conforme a disponibilidade de tempo e espaço deles”, conclui.