Alto Vale
Foto: Helder Eduardo Seiler

Cláudia Pletsch/DAV

Uma parceria entre alunos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil da Unidavi juntamente com a prefeitura de Rio do Sul promete transformar o espaço do Aeroporto Helmuth Baumgarten localizado em Lontras. Atualmente o local recebe cerca de 80 voos de aviação civil por mês, além de outros voos relacionados a questões de saúde, como transporte de órgãos para transplante e transporte de pacientes de outras regiões. O estudo que está em fase inicial visa a elaboração de um projeto para a construção de uma área de embarque e desembarque, estacionamento e banheiros além de adequações para acessibilidade.

A coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo, Maristela Macedo Poleza, conta que o convênio foi assinado na última semana e que agora os alunos já começam a se reunir para discutir a proposta de recuperação, readequação e acessibilidade. “No momento foi assinado o contrato e cada um, tanto a prefeitura quanto a universidade terão um papel a cumprir. Agora eles estão providenciando o levantamento do terreno e assim os trabalhos seguem. O aeródromo de Lontras em função da metragem da área física fica limitado a um determinado tipo de embarcação, então a ideia é que se trabalhe esse espaço de chegada, de recepção de embarque e desembarque. No entorno também já está se pensando na possibilidade de áreas de estacionamento. A prefeitura de Lontras também está fazendo sua parte nessa história criando uma acessibilidade diferenciada em uma rua, e então é um conjunto de ideias que os alunos tem a possibilidade de auxiliar para o próprio desenvolvimento da região”, avalia.

Maristela conta que um egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo da instituição foi chamado para atuar como arquiteto responsável, já que esse aluno já havia apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), um projeto semelhante para o aeroporto de Navegantes. “O bacana disso tudo é que uma proposta de TCC de um aluno está contribuindo para outros alunos pois é um trabalho no qual ele estudou durante todo o ano e tendo a possibilidade de ser aplicado na região”, justifica.

Helder Eduardo Seiler é o arquiteto responsável pelo projeto e foi quem apresentou o TCC sobre Navegantes no ano de 2019 e disse que ficou honrado ao receber o convite para participar desse novo desafio agora em Lontras, numa região ainda mais próxima de sua casa que fica no município de Taió. “A ideia do projeto é integrar todos os alunos de Engenharia Civil e Arquitetura da universidade para que eles possam assim como eu ter essa experiência com algo real. Juntar essa galera toda para trabalhar vai dar a oportunidade de vivência fora, no mercado, pois a gente sabe que tem muita teoria na faculdade mas nada como algo real que vai sair do papel para ficar ainda mais profissional”, comenta.

O arquiteto ressaltou a importância do trabalho conjunto e da importância de fazer algo de relevância para a região. “A nossa vontade é dar comodidade com a elaboração de um terminal de passageiros, fomentar a parte comercial também que pode ser criada e eu também trabalho com a parte de estacionamento e entorno. Não somente a estrutura em si, mas também como essa estrutura vai conversar com a cidade”, revela.

A coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo ressaltou a importância do trabalho dos alunos na pesquisa, já que além de beneficiar os estudantes, o poder público também é beneficiado com a economia de recursos que seriam utilizados para a contratação de profissionais que fariam esse tipo de trabalho. “A ideia é que esse trabalho está sendo elaborado para ser executado, então eu penso que o convênio é o primeiro passo e depois esse projeto bem elaborado com a participação da Engenharia Civil que pode fornecer listagem de materiais, o próximo passo seria a busca desses recursos. Isso abre a possibilidade para que a obra aconteça de verdade”, completa.