Alto Vale
Foto: Arquivo/DAV

Reportagem:Rafaela Correa/DAV

Segundo mapa divulgado pelo Centro de Operações em Emergência de Saúde (Coes), a região do Ato Vale do Itajaí continua em risco gravíssimo de propagação do coronavírus pela quinta semana consecutiva. A Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) contesta essa avaliação e o secretário executivo Roberto Tchumi afirma que na próxima quinta-feira (3), prefeitos devem discutir medidas preventivas que devem vigorar a partir de 7 de setembro.

Semanalmente o Coes divulga mapas identificando a matriz de risco. A região do Alto Vale, até o momento, encontra-se em potencial gravíssimo de contaminação. “A região está em estado gravíssimo por várias semanas devido à alguns fatores que a matriz de risco está usando que é o isolamento social, fluxo de atendimentos, testagens e taxa de ocupação dos leitos de UTI. Com relação à matriz de risco no isolamento social, na semana passada nós estávamos com aproximadamente 38%, então não bate com o que o Estado está colocando, que precisa ser acima de 50%. Para fazer isolamento social vai ter que restringir algumas atividades e isso é uma coisa que o Estado não está fazendo mais, tanto é que a última portaria (Nº658), ele não está restringindo, inclusive tem algumas flexibilizações”, comenta. Ele diz ainda que o risco deve ser contestado, já que os hospitais de referência que são o Bom Jesus de Ituporanga e Hospital Regional de Rio do Sul estão com apenas 50% de ocupação. As duas unidades somam 15 leitos para atendimento de pacientes com covid, atualmente sete estão ocupados.

De acordo com Roberto, um novo boletim deve ser divulgado essa semana e a partir desses dados, uma reunião deve ser realizada com prefeitos da região para deliberar sobre outras medidas que entrarão em vigor no dia 7. “Acredito que a gente passe de gravíssimo para grave, cor laranja. Não podemos estar de jeito nenhum no vermelho. Vamos ver o que vai acontecer no próximo boletim do Estado e a partir disso vamos deliberar novas medidas. Se ficarmos no vermelho as medidas devem ser mantidas e se a gente for para o laranja vamos ter condições de fazer uma nova resolução e até flexibilizações”, explica.

Segundo o secretário, em breve os leitos do hospital Doutor Waldomiro Colautti em Ibirama também devem entrar em funcionamento, se isso acontecer, a região contará com 25 leitos ativos. A diretora da unidade, Silvana Leite da Costa informou que uma a data da abertura será decidida em reunião na tarde de hoje (1º) e que estaria com tudo encaminhado.