Alto Vale
Foto: Divulgação / SAR

Nesta quarta-feira (20), o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, juntamente com o presidente da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi), Humberto Pessatti, o Betão (PMDB), assinaram o termo de cessão de uso dos kits para perfuração.

“A Secretaria da Agricultura do Estado foi quem cedeu esses equipamentos para perfuração de poços artesianos para a Amavi, através do secretario Sopelsa”, explica Pessatti.

Os kits de perfuração são compostos por perfuratrizes, ferramentas auxiliares e caminhões de apoio. O investimento para aquisição dos equipamentos foi do Governo Federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), com contrapartida do Governo do Estado. “Os caminhões foram trazidos ontem e todos já estão equipados. Depois a Amavi fará toda a regulamentação de como vamos proceder com os serviços para as prefeituras”, esclarece o presidente.

A Amavi será responsável pela perfuração de poços nos 28 municípios da região que pertencem a Associação. São eles: Agrolândia, Agronômica; Atalanta; Aurora; Braço do Trombudo; Chapadão do Lageado; Dona Emma; Ibirama; Imbuia; Ituporanga; José Boiteux; Laurentino; Lontras; Mirim Doce; Petrolândia; Pouso Redondo; Presidente Getúlio; Presidente Nereu; Rio do Campo; Rio do Oeste; Rio do Sul; Salete; Santa Terezinha; Taió; Trombudo Central; Vidal Ramos; Vitor Meireles e Witmarsum.

Além deste, a Secretaria possui outros dois kits de perfuração de poços cedidos para o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Meio Ambiente (Cidema) para a Associação dos Municípios do Extremo Oeste (Ameosc).

A parceria com as Associações de Municípios e Consórcios Intermunicipais agiliza os trabalhos para minimizar os efeitos da estiagem em Santa Catarina. “Precisamos estar preparados para enfrentar a falta de chuva. Com a perfuração, conseguiremos amenizar a estiagem. Isso vai ajudar em muitos pontos. Serão beneficiadas granjas, propriedades agrícolas ou empresas privadas que tiverem necessidade. Mas antes de qualquer coisa, haverá uma regulamentação de como vai funcionar”, ressalta.

Ele diz ainda que com esses equipamentos será possível baratear até 50% das perfurações. Porém, ele avisa que ainda vai levar um tempo para acontecer. “Antes de abril provavelmente não começará. Fomos buscar os caminhões ainda este ano para não dar o transtorno no início do ano que vem. Em nome da Amavi, quero dizer que nós dos 28 municípios agradecemos pela aquisição”, concluiu.

Elisiane Maciel