Alto Vale
Foto: Sheyla Germano - Uma das praças mais antigas de Ibirama, a Praça da Bandeira, foi construída em 1952

Iniciam hoje as comemorações dos 120 anos de emancipação político-administrativa de Ibirama. Com objetivo de festejar a data, a Prefeitura, em parceria com diversas entidades e associações, prepara uma programação especial, voltada à comunidade. Além das comemorações, os munícipes poderão acompanhar a entrega da revitalização da Praça da Bandeira, localizada em frente ao Arquivo Público Municipal.

“Queremos marcar esta importante data com as comemorações e também com a restauração da Praça da Bandeira, que é uma das praças mais antigas de Ibirama. O espaço ficou com aspecto e características originais de quando foi inaugurado, em 1952. Foram realizadas melhorias no piso, nos bancos, na iluminação e no busto de Olavo Bilac”, conta o prefeito Adriano Poffo. Ao todo, foram mais de R$ 48 mil em recursos próprios investidos nas melhorias.

O prefeito também destacou os cidadãos ibiramenses como alicerces do desenvolvimento do município. “Quero parabenizar cada morador de Ibirama, e também as pessoas que vieram morar aqui, pela contribuição de todos na história da nossa linda cidade”, comemora.

Programação da festa

A programação dos 120 anos que inicia hoje ocorre até sábado (11). Às 9h será realizado um Ato Solene no Poder Legislativo de Ibirama, alusivo à data.

No dia 10, a partir das 19h30, haverá desfile lembrando a chegada dos primeiros colonizadores e a inauguração da revitalização da praça. A saída será às 19h30, na Praça José Deeke, com chegada à Praça da Bandeira. No local haverá serviço completo de bar e cozinha e diversas atividades culturais.
E no dia 11 será servido um café gratuito com 120 cucas e uma caminhada na trilha por onde chegaram os primeiros imigrantes.

De acordo com o coordenador da Comissão Organizadora e vice-prefeito, Jucélio de Andrade, “nos dias 10 e 11 teremos diversas apresentações culturais e serviço de bar e cozinha, que será explorado pelas entidades e associações de Ibirama”, explica.

Uma história de 120 anos

Em 30 de março de 1897, foi organizada em Hamburgo, Alemanha, a Sociedade Colonizadora Hanseática, com o objetivo principal de colonizar as terras devolutas dos vales do Rio Itajaí do Norte e Itapocu, concedidas para a Sociedade Colonizadora Hanseática pelo Governo do Estado de Santa Catarina e seu governador Hercílio Luz.

No dia 8 de novembro de 1897, chegaram à Barra do Ribeirão do Cocho/Taquaras o então diretor da Sociedade Colonizadora Hanseática, Alfred W. Sellin, que já havia trabalhado com imigração alemã no Rio Grande do Sul, o engenheiro Emilio Odebrecht, além de seis operários brasileiros e um cozinheiro. A caravana chefiada por Alfred Sellin deu início a uma história de sucesso. Durante o período colonial, Hamônia passou a ser o 4º Distrito de Blumenau, onde o desenvolvimento veio por meio de trilhos de trem, com a ferrovia que chegou até a colônia em 1909.

O município de Ibirama foi criado por efeito de lei Estadual de 17 de fevereiro de 1934, sob a denominação de Dalbérgia, com território desmembrado de Blumenau. Instalado em 11 de março do mesmo ano, passou o município a chamar-se Hamônia, quando em face do Decreto Estadual n° 1, de 7 de maio de 1935, então elevado à vila. Em 31 de dezembro de 1943, com o Decreto Lei n° 941, o município e seu distrito passaram a designar-se Ibirama.

Passado o período turbulento da Segunda Guerra Mundial e do Estado Novo de Getúlio Vargas, a partir dos anos 50 teve início o grande desenvolvimento da cidade.

Praça da Bandeira

Foi o prefeito Max Meldola que reformou o prédio da Antiga Escola Alemã de Hamônia, para abrigar a nova sede da Prefeitura Municipal e centro cívico, pois construiu a Praça da Bandeira em frente ao mesmo, com o busto de Olavo Bilac, inaugurada em 20 de abril de 1952.

O prefeito Adriano Poffo agradeceu aos servidores da Prefeitura, entidades parceiras e a população pela realização das atividades alusivas ao aniversário de Ibirama, sendo elas: Sociedade de Atiradores Rafael Alto, Sociedade de Atiradores Rio Sellin, Clube Recreativo Hamônia, Wagner Bebidas, Associação de Moradores do Bairro Operário, Associação de Artesãos, Sociedade Desportiva União, Ricord’Itália, Associação Hansahoehe, Associação de Desenvolvimento Getúlio Vargas e Café Ouro.

Rafael Beling