Cidade
Foto: Cláudia Pletsch

Reportagem: Cláudia Pletsch/DAV

Uma obra que já vem sendo pensada desde 2011 e começou a ser executada em 2017 promete mais qualidade no ensino para 330 alunos que frequentam diariamente a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Rio do Sul. A ampliação do prédio, que atende 220 alunos rio-sulenses e 110 de outros sete municípios da região, vem sendo executada com recursos próprios da Apae e com a ajuda de emendas parlamentares. Agora, para concluir a construção a instituição precisa de mais R$ 2,4 milhões.

A ampliação que vem sendo feita na Apae é para a construção de novas salas de aula, área de saúde e quadra poliesportiva. O presidente da associação, Yuri Stupp, conta que essa ampliação é muito importante, já que o número de novos alunos vêm crescendo nos últimos anos e no prédio atual eles precisam juntar turmas e fazer diversas adequações para conseguir atender a todos. “A estrutura ficou muito pequena, já não comporta mais e a gente está tendo que trabalhar com duas atividades de saúde na mesma sala, temos também que reunir turmas diferentes para conseguir dar conta dos 330 alunos. O nosso principal objetivo é espaço de qualidade para as crianças, atendimento médico também e a quadra poliesportiva”, relata.

A construção vem sendo executada com recursos próprios e de emendas parlamentares, como conta Yuri. Ele diz também que a finalização das obras não tem um prazo, já que depende de conseguir os recursos para dar andamento. “Já fizemos algumas promoções, como vendas de cargas de caminhões daquelas compras que são apreendidas pela Justiça Federal e através disso conseguimos colocar os recursos em uma conta separada para gerar fundos para a gente fazer esse investimento. Também trabalhamos com recursos próprios e emenda parlamentar além de recursos do Poder Judiciário”, explica.

Yuri relembra que até o momento a obra já custou em torno de R$ 2,6 milhões e calcula que para finalização eles precisam de mais R$ 2,4 milhões. “A gente tem um caixa para ir fazendo essa obra, mas a finalização ainda não tem uma previsão pois depende de a gente ir conseguindo os recursos. Final de 2019 tivemos a liberação de uma emenda parlamentar o deputado Milton Hobus, mas esse ano atrasou um pouco a obra em razão da pandemia até porque começou a faltar materiais nos fornecedores, mas temos esse valor da emenda do ano passado e ele nos sinalizou que deve enviar mais R$ 500 mil no próximo ano. Tem alguns materiais que a gente precisa que são mais caros, como o elevador por exemplo, que a gente tem que ter para o transporte de cadeirantes. Tem também a questão da dimensão dos espaços que precisa ser correta pois as vezes a gente precisa colocar uma maca e também é preciso um espaço maior para os cadeirantes, isso é uma coisa que também custa bastante”, relata.

O presidente ressalta ainda que a ampliação está sendo executada fora do risco de enchentes e relembra que as novas salas de aula ficam dois metros acima do nível de inundação de 2011. Ele explica que o térreo vai abrigar um grande estacionamento e que as salas que estão sendo construídas no segundo andar devem ficar livres de água, em cima das salas a quadra poliesportiva também está livre da cota.

Para Yuri, poder concluir as obras e finalmente utilizar o espaço é uma grande realização. Ele conta que o benefício não será somente para os alunos. “Temos muitos alunos que são de famílias mais humildes e dependem totalmente da Apae e não somente da aula, mas também do transporte. De Rio do Sul temos hoje em torno de 220 alunos, o restante são de outros municípios, e aqui da cidade os alunos são todos transportados pela Apae sem despesas para o município. Com essas obras o ambiente que vamos ter para os alunos e profissionais vai proporcionar muita qualidade no ensino”, finaliza.