Alto Vale

A atuação da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) é de extrema importância para a comunidade, e, na região, este papel pedagógico e instrumento de inclusão social é desenvolvido em diversos municípios. Na regional de Rio do Sul, além da Apae da capital do Alto Vale, ainda a entidade de Agrolândia e a de Trombudo Central transformam a vida de centenas de alunos, através de educação, dedicação e muito carinho.

Valorizando o trabalho destas entidades, na tarde de ontem, na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Rio do Sul, o secretário Ítalo Goral formalizou o Acordo de Cooperação Técnica entre a Fundação Catarinense de Educação Especial, representada pelo presidente Eliton Verardi Dutra, e as Apaes da regional, representadas pelos seus presidentes. O objetivo do Acordo é o apoio técnico e pedagógico entre as partes, visando estabelecer condições adequadas para o atendimento das pessoas que frequentam estas instituições especializadas, conforme a política de Educação Especial do Estado de Santa Catarina.

O secretário da ADR salientou a importância da atuação destas instituições, e, ainda, revelou que o governo tem a intenção de ampliar o volume do recurso para as Apaes em 2018. “Temos esta participação do Estado, fornecendo os professores, também pagando o transporte escolar, que é um custo alto. Neste ano a estimativa de investimento nas Apaes foi de R$ 200 milhões, já para o próximo ano, através do Fundo Social, haverá o incremento para R$ 240 milhões. Conforme a demanda das Apaes o Governo do Estado de Santa Catarina está dando esta assistência”, afirmou Goral.

Na oportunidade, o secretário ainda aproveitou para destacar a relevância do trabalho realizado pelas entidades junto à comunidade, e disse que o recurso acaba se tornando fundamental para que a Apae possa desempenhar seu papel de forma mais segura. “Sem a colaboração não estariam funcionando as Apaes de Santa Catarina. Para nós é gratificante poder estar ajudando as Apaes, que a gente sabe o problema diário das Apaes e das famílias no tratamento destas pessoas especiais”, observou.

O presidente da Apae de Rio do Sul, Ivan Casagrande Concer, falou sobre a aplicação prática do Acordo nas ações diárias da entidade e como isso irá beneficiar a instituição. “Este Acordo realmente é muito importante para as Apaes, e, para a Apae de Rio do Sul, esses benefícios vêm complementar o nossos recursos de administração”, disse Concer, que ainda ressaltou que a Apae vive através de convênios e promoções realizadas. “Temos a festa anual da Apae, nosso pedágio e várias outras situações para que possamos manter a entidade”.

A Apae de Rio do sul atende hoje cerca de 360 alunos, vindos também de cidades próximas, como Agronômica, Laurentino, Rio do Oeste, Presidente Nereu e Lontras, sendo que trabalham na entidade aproximadamente 50 funcionários. Toda esta operação de ensino e amor, demanda um grande investimento, mas, sem dúvida, demonstra ótimos resultados para seus frequentadores e familiares.

Airton Ramos