Alto Vale

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Não bastasse o período de dificuldades financeiras por conta da pandemia, uma família de Rio do Oeste teve que fechar as portas do seu negócio: uma oficina, na comunidade de Toca Grande I, após ser alvo de um assalto. Criminosos levaram equipamentos e ferramentas essenciais para o trabalho. O prejuízo foi de cerca de R$ 40 mil.

Na ocasião foram levados itens como ferramentas, aparelhos elétricos, macacos hidráulicos, baterias entre outros. A casa do filho do proprietário que ficava próximo a oficina também foi alvo dos bandidos e da residência foram furtadas dois televisores, vários eletrodomésticos, roupas, cobertores e até carne.

O furto aconteceu na quinta-feira (28) e a família fez um boletim de ocorrência na sexta-feira (29) , mas até agora nada foi recuperado. De acordo com Alessandra Schell, que é cunhada do proprietário, a oficina que fica no interior de Rio do Oeste atendia diversas comunidades e todos os moradores foram prejudicados. “Nesse momento muitas pessoas sentem falta do serviço pelo fato de que tudo o que é preciso ser consertado tem que ser levado até o Centro da cidade, que fica a mais ou menos a 15 quilômetros da oficina que foi furtada”, comenta.

Ela diz que o local segue de portas fechadas porque não pode abrir sem os equipamentos necessários. “Não conseguimos recuperar nada até o momento. A oficina se encontra de portas fechadas, mas ainda estamos com esperanças de encontrar as ferramentas. O prejuízo foi muito grande e é de mais de R$ 40 mil”, completa.

Questionada sobre o caso a Polícia Civil de Rio do Oeste garantiu que segue investigando o caso e que continua realizando diligências para identificar os autores e recuperar os objetos furtados. Sem ter condições de comprar tudo que foi furtado, a família não tem nem previsão de quando poderá reabrir a oficina. “Não tem nem previsão de quando conseguirão voltar a atender os clientes, pois terão que comprar tudo novamente. Estamos contando com a ajuda da polícia para tentar recuperar os nossos pertences.”