Alto Vale
FOTO: ALEXANDRE SALVADOR

Depois de um ano da interdição, as obras de reparo nos decks da Praça Prefeito João Machado da Silva, que fica próximo à prefeitura de Taió, devem iniciar nos próximos dias. A estrutura apresentava problemas com a madeira instalada no piso e ficou fechada para passeio, desde o início do ano passado. Agora, as reformas serão feitas com concreto.

Por volta de fevereiro de 2018, a prefeitura interditou o passeio dos decks, na margem do Rio Itajaí Oeste e alguns meses depois, a Defesa Civil interditou os decks sobre o Rio Taió. O motivo da decisão foi pelo assoalho do deck, que era feito de madeira, ter apodrecido e pela constante manutenção e troca das peças quebradas pela prefeitura, desde a inauguração que ocorreu em dezembro de 2016.

De acordo com o prefeito do município, Almir Reni Guski, na tarde de ontem (5) a Administração Municipal fez uma reunião com a empresa responsável, para que os serviços sejam iniciados. “As obras que inclusive já eram para ter iniciado em janeiro”, completou.

A empresa que vai fazer os reparos é a mesma que ganhou a licitação e que instalou o deck na primeira vez. Desta vez, a estrutura será feita toda em concreto e as cercas das laterais serão de metal. “Nós fizemos um acordo com a empresa, porque havia um problema se a madeira era tratada ou não, então, nesse acordo, agora a empresa vai oferecer a mão de obra e o município vai pagar o concreto. Não será mais feito de madeira, porque a segurança precisa ser grande ali principalmente por estar na beira do rio”, disse o prefeito.

Guski não pôde precisar a data de entrega no momento, já que será a empresa quem vai desempenhar os trabalhos.
Uma moradora de Taió, que não quis se identificar e que tem comércio no centro da cidade, disse que apesar de não ouvir muita reclamação das pessoas, espera que a obra seja realizada com celeridade. “Afinal de contas é dinheiro público que está investido lá”.

A redação do Diário do Alto Vale tentou contato com a empresa vencedora da licitação, mas não obteve êxito. A Defesa Civil de Taió preferiu não se manifestar, já que a obra está a cargo da empresa e não do órgão.

Histórico da obra

Segundo o engenheiro fiscal da obra em 2015, Carlos José Varela, durante as obras originais da praça João Machado da Silva as madeiras dos deck´s ficaram submersas nas águas de enchente, o que causou a deterioração das estrutura. Por esta inconformidade com o edital, de não possuir madeiras tratadas, o Município de Taió resolveu agir e reparar administrativamente. “A prefeitura, exigindo as qualidade mínimas da obra, acionou a construtora Mão de Obra Gabriel, para fazer a substituição do material pago em 2015, conforme prevê a garantia de obra, uma vez existente a garantia, seria necessário fazer exatamente igual ao projeto original, em madeira como foi pago”., disse o prefeito.

A obra foi realizada através de um convênio entre o Ministério do Turismo e o município de Taió, e o valor anunciado foi de R$ 661.202,35. A prefeitura notificou a empresa responsável pela obra por colocar material de baixa qualidade no início de 2018. A madeira utilizada foi eucalipto, como previa o edital, porém, não teve tratamento adequado para ficar exposta ao tempo. Depois de algumas reuniões, ficou acertado então, de que o município arcaria com parte dos custos da reforma e que os pisos e assoalhos em madeiras seriam substituídos por laje de concreto. A proposta foi enviada para aprovação dos vereadores e ficou acertado então, que o município pagaria os materiais necessários, enquanto a empresa arcaria com toda a mão de obra. O material em madeira, possui valor inferior a lajes em concreto, trazendo assim um custo adicional de R$ 17.076,77 que deverá ser pago pela prefeitura. A empresa está alinhando os trabalhos com a municipalidade para iniciar a execução da mesma.

Elisiane Maciel