Esporte
Foto: Arthur Hoffmann

 

A nova promessa do atletismo catarinense está de malas prontas com destino a Bragança Paulista, São Paulo, onde participará de um período de estágio no Centro Nacional de Treinamento de Atletismo (Cnta). Afinal de contas a temporada de 2019 credenciou Alana Amorim, com apenas um ano e meio participando das provas dos 100 e 200 metros, a conquistar cinco medalhas de ouro, três de prata e igual número de bronze. Natural de Ituporanga, mas radicada em Rio do Sul, a velocista de 17 anos é a atual líder do ranking Brasileiro e Sul-Americano, na categoria Sub-18 nos 100 metrôs, com o tempo de 12,09 segundos.

 

A carreira de Alana é diferente das adolescentes de sua idade. Em razão da sua velocidade o pai incentivou a praticar o atletismo, em razão do biótipo. Por isso foi morar em Balneário Camboriú, onde permaneceu durante seis meses. Ela admite que não levava muito a sério os treinamentos. “Retornei a Rio do Sul, mas fiquei durante três anos parada até que um dia tomei conhecimento do projeto da FMD, de provas de pista e desde então estou aqui com o treinador Jefinho”, comenta.

 

Mesmo com as medalhas de ouro nas duas provas na Olesc e nos Joguinhos Abertos e bronze nos Jasc, nos 200 Alana admite que não estava preparada para atingir esses resultados na sua primeira temporada. Em seu currículo tem ainda medalhas de ouro no Brasileiro Sub-18 nos 100 metros e prata nos 200. Os resultados mais recentes foram nos Jogos Escolares da Juventude, promoção do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) que estão sendo realizados em Blumenau. Nas duas provas de sua especialidade, realizadas em Timbó, a rio-sulense por adoção terminou na segunda colocação.

 

Jefinho reconhece que a força de vontade e a perseverança ajudaram Alana atingir esse desempenho, mesmo com menos participando de treinamentos. “Ela começou com cara de três treinamentos semanais e agora já trabalha até seis vezes”, lembra. Foi o resultado no Campeonato Brasileiro Sub-18, realizado em Porto Alegre, que motivou o treinador a inscrevê-la nos Jogos Abertos. “O foco era os Jogos Escolares da Juventude, mas acabou surpreendendo com o bronze nos Jasc”, conta. Durante o período de permanência em Bragança Paulista, Alana será acompanhada do técnico Jayme Neto, técnico da geração prata, nos Jogos de Sidney, em 2000. No estágio ela receberá orientações sobre os treinamentos para a próxima temporada.