Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O município de Rio do Sul, assim como toda a região está revelando vários talentos no meio esportivo. Neste final de semana foi a vez da Mesa-tenista, Mahayla Sardá, que recebeu convocação da Seleção Brasileira para disputar pelo menos duas categorias em 2022 e é uma das 16 melhores do país na categoria Mirim e Infantil.

O pai e treinador da menina, Gilberto Antoni Sardá, conta que ela disputou as categorias Sub-13 (Mirim), Sub-15 (Infantil) e Sub-19 (Juvenil) e que conseguiu duas vagas. No infantil ela se classificou como primeira do grupo, que inclui outras três atletas de Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo e no Infantil também teve bom resultado.

“Todos os anos a Confederação faz a seletiva da seleção brasileira de base, que é dos atletas até 13 anos, até 15 anos e até 19 anos, para ver os melhores do Brasil em cada idade. A Mahayla jogou as três seletivas e está entre as 16 melhores do Brasil”, revela.

Ele afirma ainda que é uma conquista importante para a menina de apenas 13 anos de idade.

“Isso é muito importante, porque ela saiu de Rio do Sul e está entre as melhores do Brasil. Já é o sexto ano que ela está na Seleção Brasileira, entrou com oito anos, a jogadora mais nova da história a entrar na seleção”, acrescenta.

Essas não foram as únicas conquistas de Mahayla, há alguns meses ela também participou do Circuito Mundial de Tênis de Mesa na categoria Sub-13, que aconteceu em Cuenca, no Equador. Na disputa, ela teve um bom desempenho e chegou invicta na semifinal, o que rendeu a ela um lugar no pódio internacional, trazendo para o Brasil o terceiro lugar no Mundial.

“Ela jogou os três primeiros jogos do grupo, venceu todos e por ter ido bem foi direto para as quartas de finais, ganhou de graça as oitavas de finais, pelo bom desempenho que teve. Nas quartas de finais a Mahayla ganhou de 3 a 0 da Colômbia e se classificou para a fase seguinte”, lembra.

Na semifinal, em uma disputa apertada, Mahayla perdeu para o Equador, mas ainda assim ficou no pódio e trouxe o bronze para o país.

“Ela foi para a semifinal e acabou perdendo para o Equador em um jogo super disputado e ganhou o terceiro lugar da competição. É um resultado histórico, a primeira vez que participou do Circuito Mundial, já saiu com medalha de terceira colocada, ficando no pódio. Foi muito importante, ficamos muito animados, muito felizes”, finaliza.