Alto Vale
Divulgação

 

Luana Abreu

 

Um estudo técnico socioambiental será o tema de uma audiência pública em Taió no próximo mês. Um acordo feito em 2007, pelo então prefeito José Goetten De Lima e o Ministério Público de Santa Catarina, fez com que a Prefeitura tivesse a obrigação de realizar um estudo abordando questões ambientais e sanitárias. Uma nova ação ajuizada pela Promotoria de Justiça de Taió deu um novo prazo para que o prefeito Almir Guski (PSDB) apresente esse material.

 

De acordo com Guski, o estudo discutido na audiência que será realizada no dia 20 de janeiro, na Câmara de Vereadores, está sendo desenvolvido por técnicos de uma empresa da iniciativa privada. O evento faz parte das exigências da justiça para que possam ser desenvolvidas ações no município.

“Nossa proposta é levar ao conhecimento da população o resultado desse estudo e como ele se materializa na forma de lei. Na audiência serão demonstrados os critérios de avaliação que vão gerar o diagnóstico socioambiental de Taió”, explica.

 

Segundo o prefeito, o estudo técnico instruirá o município quanto a possíveis ocupações nas margens dos rios de forma regulamentada, permitindo novas construções e a regularização daquelas já existentes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável de área urbana do município.

“Hoje, estamos suscetíveis a permitir uma ocupação desordenada das Áreas de Preservação Permanente. Essas medidas são de grande relevância no sentido de proteger o espaço que se destina a mata ciliar e a prevenção do assoreamento dos rios e córregos, haverá uma importante contribuição para a paisagem desses locais com a proliferação da vegetação que ali se desenvolver”, ressaltou.

 

O prefeito afirmou ainda que o próximo passo será também a apresentação de um Projeto de Lei para aprovação na Câmara de Vereadores.

“E sendo aprovado, passa a se tornar um dos instrumentos para ordenar o desenvolvimento urbano do município. Assim, todos são beneficiados no sentido de impedir que futuros desastres ambientais atinjam a população local e, com isso, Taió se torne refém de elevados investimentos para recuperação dos prejuízos causados por estes desequilíbrios da natureza”, declarou.

 

O prefeito destacou ainda a importância da participação da população na audiência.

“Gostaríamos de reforçar o convite a todos os munícipes, para que compareçam e prestigiem esse evento. É de suma importância a presença da população para melhor apresentar o resultado desse trabalho, que contribuirá, entende-se de forma positiva, o crescimento ordenado de nossa cidade”, concluiu.