polícia
Divulgação

 

Helena Marquardt

Menos de duas semanas após o assalto a um banco de uma cooperativa de crédito em Vidal Ramos, um crime parecido voltou a assustar moradores da região. Dessa vez o alvo foi uma agência bancária de Apiúna onde houve também troca de tiros, carro incendiado, reféns usados como escudos e até um policial baleado. A quantia levada não foi informada.

 

A ação, que durou poucos minutos, ocorreu por volta das 15h desta terça-feira (17) na agência do Bradesco que fica bem no Centro da cidade e por causa da fuga dos criminosos, a BR-470 teve que ser interditada, causando congestionamentos e lentidão. Um policial que perseguia os bandidos levou um tiro na mão e acabou batendo a viatura em um poste. Ele foi encaminhado ao Hospital Beatriz Ramos em Indaial e seu estado de saúde é estável.

 

Um dos reféns, que seria o segurança da agência, foi abandonado minutos depois na localidade de Ribeirão Basílio e um dos carros utilizados pelos criminosos foi incendiado bem no meio da BR-470. De acordo com a polícia, os assaltantes também espalharam os chamados “miguelitos” para retardar a aproximação das forças de segurança.

 

O empresário Jony Edson Schmidt, que tem um serviço de guincho na cidade, conta que estava indo fazer um serviço e quando trafegava pela BR-470 viu o Fiesta dos criminosos com algo preto no capô, mas só depois percebeu que se tratava de um refém.

“Na hora vi algo preto, mas não dei bola e fui seguindo devagar atrás deles, depois numa certa altura, no Ribeirão Basílio, eles atravessaram o Fiesta no meio da pista, mandaram o segurança correr, tiraram um galão de gasolina que estava no porta malas e atearam fogo”, relata.

 

Ele lembra que só entendeu que se tratava de um assalto quando começou a ouvir os vários disparos que os criminosos fizeram e conta que depois que o carro foi incendiado viu quatro homens entrando num Honda Civic prata que vinha logo atrás do Fiesta. “Eles davam muitos tiros para cima, foram vários, um atrás do outro”, disse.

 

 

Um dos criminosos acabou preso ainda em Apiúna durante a tarde, mas até o fechamento desta edição policiais civis e militares de toda a região e o helicóptero da PMSC estavam mobilizados nas buscas aos outros suspeitos.