Cidade
Foto: Adriano Gava

Reportagem: Cláudia Pletsch/DAV

Os moradores de Rio do Sul que utilizam o transporte público tem até o último dia de dezembro para fazer a mudança na forma de pagamento da passagem. Isso porque a empresa está adotando o sistema de bilhetagem eletrônica e a partir do dia 1º de janeiro os ônibus aceitarão apenas o cartão magnético.

A Supervisora de Tráfego da empresa Ônibus Circular, Bruna Juliana Dück, explica que essa adaptação é necessária para garantir mais praticidade e agilidade no embarque, mas que as pessoas que possuem passes comprados podem fazer a troca por créditos no cartão. “A mudança é para que justamente a gente possa ter mais agilidade no embarque, mais praticidade também para que o usuário possa controlar o número de passes que tem, pois tem um site para consultar o tanto de crédito que tem no cartão. É melhor para a gente também poder controlar melhor o fluxo de passageiros e atender melhor a necessidade da população”, justifica.

Para fazer o cartão é necessário se dirigir até o setor de vendas na Avenida Oscar Barcellos nº1.180 levando o CPF, um e-mail e um telefone para contato, mas Bruna ressalta que caso o usuário do transporte não consiga ir até o local pode entrar em contato por telefone e solicitar ajuda.
A recarga do cartão também deve ser feita no setor de vendas, mas a supervisora conta que a empresa já está trabalhando no desenvolvimento de um aplicativo e de um site para tornar o acesso mais fácil. Além disso ela conta que no município uma grande quantidade de pessoas ainda utilizam os passes de papel. “Para colocar o crédito a gente está em processo de desenvolvimento também para colocar mais pontos de vendas na cidade e também queremos desenvolver um aplicativo ou algo nesse sentido de venda on-line para ficar cada vez mais fácil de a pessoa ter o acesso. Assim a gente consegue ver quem está andando mais em qual linha, qual a idade dessas pessoas para a gente poder se adequar dessa forma e atender da melhor maneira possível”, ressalta.

De acordo com a supervisora a pandemia só evidenciou a necessidade de adoção do novo formato já que com o cartão o usuário e o cobrador não precisam ter contato direto. Ela ressalta ainda que essa é uma forma na qual as pessoas conseguem controlar melhor a quantidade de passes que possuem além de diminuir as chances de perda ou danificação do passe.