Cidade

Apesar dos estragos causados pelas chuvas na semana que passou, o Cabide Solidário – ação social encabeçada pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) – está mantido em Rio do Sul. Das 14h às 16h, no Residencial Ataíde Generoso Fernandes, localizado no bairro Progresso, cerca de 130 famílias serão beneficiadas com peças de inverno arrecadadas através da Campanha do Agasalho do Sesc, que vai até o fim deste mês.

A coordenadora de recreação e desenvolvimento comunitário, Alessandra Santin, explica que o evento irá abranger apenas os moradores do residencial Ataíde. Segundo ela, a escolha foi baseada em levantamentos realizados anteriormente pelo Sesc, que apontaram que as famílias que residem no local precisam de auxílio. “A gente já tem projetos que acontecem lá que é o Sesc Cidadania. Em virtude de alguns levantamentos que a gente fez de algumas famílias que residem lá e precisam, a gente vai destinar nesse momento o material para lá”, explica.

Aproximadamente 300 itens de inverno foram separados para a ação social. De acordo com Alessandra, existe um limite de quatro peças por pessoa, o que garante que todos os moradores tenham acesso às roupas. “Vale lembrar que o Cabide Solidário vai atender a comunidade do Progresso, mas a campanha do agasalho atende toda Rio do Sul e também alguns municípios do Alto Vale”, afirma a coordenadora.

 

Campanhas ativas

A Campanha do Agasalho vai até o dia 30 deste mês, e as doações podem ser entregues na própria unidade do Sesc, no bairro Budag, em Rio do Sul. Segundo Alessandra, por conta das cheias que atingiram a região do Alto Vale nos últimos dias, a campanha Sesc Solidário também será ativada. O intuito é arrecadar peças de roupas que estejam em bom uso, além de outros materiais essenciais para as pessoas que estão nos abrigos. “Agora em virtude da enchente a gente vai ativar a campanha Sesc Solidário, que é um projeto estadual, onde a gente faz a arrecadação de tudo que é donativo que esteja em bom uso, tanto roupa, quanto material de higiene e limpeza. Então, todos esses materiais são destinados a essas 145 famílias que estão em abrigos aqui em Rio do Sul”, finaliza a coordenadora.

Carolina Ignaczuk