Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), de Rio do Sul já está praticamente concluído e deve abrigar num mesmo local diversos serviços e facilitar a vida da comunidade. O prédio que foi construído para sediar o Sine foi doado pelo Estado ao Município e passou por uma reforma completa. A previsão é de que tudo esteja finalizado em cerca de dois meses.

O secretário de Gestão de Governo, Cristian Stassun, ressalta que o CAC surgiu da necessidade de juntar diversos serviços que a prefeitura oferece e atualmente estão em diversos imóveis, inclusive alugados. “Queríamos aproveitar esse espaço do antigo Sine que era utilizado por moradores em situação de rua. Era um imóvel do Governo do Estado e foi passado para a Prefeitura. O prédio era bastante antigo e fizemos um investimento na reforma de cerca de R$ 535 mil e o principal objetivo é a economia anual que gerará com os aluguéis onde hoje estão instalados os departamentos que vão para lá”, disse.

Ele explica que o imóvel vai abrigar o Procon, a Junta Militar, a União das Associações de Bairros e o Setor de Trânsito da Prefeitura de Rio do Sul que atualmente funciona anexo a sede da Guarda Municipal. “Nesse local teremos inclusive um auditório onde podem ser realizadas as reuniões das Associações de Bairros que hoje se reúnem na Câmara e precisam pagar taxa, além das reuniões de conciliação do Procon, então será um local de bastante utilização”.

O local também vai abrigar um setor do Instituto Geral de Perícias responsável pela emissão de Carteira de Identidade.

A obra de reforma está praticamente concluída faltando apenas uma parte da pintura e aquisição do mobiliário. Cristian afirma que a expectativa é que tudo fique pronto em no máximo dois meses. “Falta só a parte de mobiliário, de rede de internet e alguma coisa de pintura de muro e jardinagem. Estimamos a abertura em torno de dois meses, mais pela licitação dos móveis”.

Expectativa para emissão de passaportes no CAC

A expectativa é que o CAC de Rio do Sul também possa fazer a emissão de passaportes e atendimento de imigrantes, um pedido que já foi feito pelo prefeito José Thomé em Brasília no início do ano. A instalação de um escritório da Polícia Federal beneficiaria mais de 300 mil habitantes dos 28 municípios da região que hoje precisam se deslocar para outras cidades.

Para que a implantação realmente se concretize, a prefeitura se comprometeu a ceder um servidor de carreira que seria treinado para operar o sistema e trabalhar no local auxiliando nos atendimentos. Um policial federal também precisaria estar à disposição em tempo integral.