Alto Vale, Social
Foto: Instituto Maria Auxiliadora

Cláudia Pletsch/ DAV

Com a suspensão das aulas há mais de quatro meses em Santa Catarina por causa da pandemia causada pelo Covid-19 muitas escolas tiveram que se reinventar para atender a demanda das famílias e garantir o processo de educação das crianças. Mas depois de quase cinco meses sem aula, muitos pais estão tendo dificuldades para auxiliar os filhos, e as crianças enfrentam dificuldades para aprender e desenvolver a atividades propostas.

Pensando no bem estar das crianças e dos pais, que também passam por um período de adaptação, uma escola de Rio do Sul criou um projeto que serve de inspiração para outras escolas. Trata-se da “Caixa das Engenhocas”, a caixa foi um projeto desenvolvido pensando em dar tempo para as crianças explorarem os materiais e as possibilidades de criação, sem tarefas a cumprir, pensando na necessidade das famílias. Segundo a Orientadora Pedagógica da instituição, Elisângela Staloch Beschinock, o projeto promete ajudar pais e filhos a enfrentar esse momento novo com mais leveza. “A gente começou a perceber que cada vez mais famílias passaram a nos descrever essa dificuldade dizendo que as crianças estavam cansadas, que não queriam mais ficar na frente de uma tela, e a gente sabe que isso não é o ideal nessa faixa etária, então começamos a pensar, discutir formas de levar essas propostas que a gente desenvolvia no espaço da escola para casa. A educação infantil é um segmento que sente muito, num contexto nacional e pode se dizer mundial.”, explica.

O projeto conta com duas caixas, uma contendo diversos jogos de luzes na qual as crianças podem trabalhar com sombras, projeções de imagem, mistura de cores e desenhos em cima da areia. Na outra caixa foram enviados elementos da natureza, Elisângela conta que esses elementos incentivam as possibilidades de descoberta. “Encaminhamos muitos elementos que fazem parte da rotina das crianças, ali elas vão explorando e manipulando argila, pedras, galhos, folhas e vão construindo possibilidades de criação e também descoberta. Também escrevemos uma bula, com escrita leve e divertida para que os pais pudessem entender toda a proposta do material, além disso a gente mandou dicas para explorar a caixa, mas a intenção é explorar o livre processo de manipulação”, comenta.

As caixas foram entregues diretamente aos pais em formato drive-thru e com horário agendado antecipadamente, para evitar aglomerações. A Jéssika Wini Feuzer Perini, é mãe de um aluno da educação infantil da escola, ela conta que o projeto incentiva a imaginação livre e permite criar e aprender sem amarras. “A experiência com a Caixa das Engenhocas foi enriquecedora. É tão bom ver seu filho criando a partir de elementos que não foram previamente determinados pra uma atividade. É um criar livre, sem amarras, onde a imaginação da criança não tem limites. Ele cria a partir do novo ou de suas vivências, mas sempre com a mente aberta pra novas experiências”, finaliza.