Cidade
Foto: Divulgação

A aprovação do Projeto de Lei, que permite alterações no Plano Diretor de Rio do Sul, no que se refere às instalações hospitalares complementares, vai permitir que a Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí dê o primeiro passo visando a construção de nova torre do Hospital Regional de Rio do Sul.

A expectativa agora é conseguir um aporte financeiro nas esferas municipal, estadual e federal para iniciar as obras orçadas em cerca de R$ 100 milhões, incluindo os equipamentos. O novo prédio terá área em torno de 27 mil metros quadrados, distribuída em 14 andares.

O presidente da Fusavi, Claudio Ropelato, colocou que os vereadores entenderam a necessidade de acrescentar um artigo no Plano Diretor.

“Em 2006 não tinha nada no que contemplasse as edificações ou instalações complementares de hospitais e maternidades”.

Ropelato explicou que o Ministério da Saúde faz uma série de exigências já contidas no projeto arquitetônico. “Temos que agradecer os vereadores, que aprovaram por unanimidade a alteração do Plano Diretor”, afirma.

“Sabem que isso vem melhorar o atendimento porque o hospital será uma referência ainda maior”, acrescenta.

Ropelato disse ainda que agora começa o desafio de recursos para a construção da nova torre em todas as esferas políticas, independente de partido.  “O Hospital Regional não tem partido, tendo como finalidade única o atendimento da população”.

O presidente acredita que aos poucos haja um aporte. “A partir do início da obra com certeza teremos o apoio da classe empresarial e da comunidade em geral, como já ocorreu na construção do atual prédio na década de 90”.

As reformas do Pronto-Socorro e do Centro Obstétrico também estão previstas e serão executadas paralelamente. “Os dois projetos já estão prontos e a Fusavi tem parte dos recursos”, anunciou o presidente.

Ele observou que desde que entrou em funcionamento há 27 anos, os dois setores não sofreram alterações. “O PS por exemplo terá entrada diferenciada, dependendo da situação do paciente”, completa.