Cidade
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A contadora, Marisa Luciana Schwabe de Morais, que atua como professora universitária e é candidata a presidência do Conselho Regional de Contabilidade pela Chapa 2, visitou Rio do Sul para conversar com profissionais e apresentar as propostas da chapa. As eleições ocorrem nos dias 23 e 24 de novembro e definirão a renovação de dois terços dos conselheiros da entidade.

Ela explica que as eleições do CRC têm uma particularidade em relação a outras eleições. “O grupo que concorre, que compõe essa chapa com 29 membros, se ganhar elege o presidente junto com os conselheiros que já estão na casa. O profissional da contabilidade vota no conjunto e essa chapa é quem escolhe. Como somos um grupo fechado ele já entra com alguém pretenso a ser presidente que no caso sou eu, mas isso só ocorre posteriormente a eleição que acontece em novembro”, esclarece.

Ela diz que o grupo composto representa diferentes áreas de atuação dos contadores e tem projetos voltados a todas elas. “Temos que ter projetos para todos, pois temos contadores que são peritos, auditores, docentes, que trabalham no setor público e os que têm escritório. Outro cuidado que tomamos é que essa chapa representasse todas as regiões do estado para ter alguém que olhe para cada uma delas e nos traga as demandas”.

Sobre as principais metas de sua gestão pela chapa 2 ela cita que tem um plano de ação com 45 propostas elaboradas por todo o grupo. “Claro que algumas são mais simples e fáceis de serem executadas e outras mais robustas, mais modernas e inovadoras, mas todos os projetos são passíveis de serem executados”.

Entre as metas está a capacitação profissional continuada e a fiscalização, que segundo Marisa, é uma reclamação constante da categoria. “Sentimos muito no estado um sentimento que a fiscalização, que é uma das funções primárias do Conselho, precisa ser preventiva, orientativa e não punitiva. O profissional quando não atende as normativas que regulam a profissão pode ser autuado, mas ele precisa ser orientado e ter a oportunidade de corrigir”, ressalta.

Ela comenta ainda que as visitas estão sendo feitas a todas as regiões reunindo o maior número de cidades possível. “O período de campanha é bem curto, 45 dias. Começou no dia 9 de outubro e encerra dia 22, então nesse período tentamos ir a todas as regiões reunindo profissionais de várias cidades para ouvir os anseios e apresentar propostas e foi o que viemos fazer aqui em Rio do Sul”, completa.

Quem pode votar?

O voto é obrigatório a todos os profissionais registrados nos CRCs, mas só poderão participar da escolha de seus candidatos os profissionais que estiverem com seus dados cadastrais atualizados e em situação de regularidade quanto a débitos de qualquer natureza.