Alto Vale
CRS/DAV

 

A Justiça Eleitoral confirmou que as eleições suplementares no município de Laurentino, no dia 8 de março, terão três candidatos à majoritária. Isso porque, além de Salésio Nardelli (PSDB), as candidaturas de Ademir Caetano (PTB) e Marcelo Rocha (MDB), que estavam sendo analisadas, foram deferidas. As suspeitas de irregularidades foram descartadas pelo juiz da 102ª Zona Eleitoral, Giancarlo Rossi, que publicou a decisão nesta segunda-feira (17).

 

A candidatura de Ademir Caetano havia sido impugnada pelo PSDB. O partido alegou que o nome do representante do PTB não estava incluso na lista Filiaweb, que é o sistema de filiação partidária do Supremo Tribunal Eleitoral (STE). No entanto, a decisão do juiz eleitoral reitera que as demais condições de elegibilidade foram preenchidas, não havendo informação de causa de inelegibilidade.

 

Na sentença, Rossi ainda considerou “improcedente a impugnação apresentada pelo partido PSDB e, por conseguinte, defiro o pedido de registro de candidatura de Ademir Caetano e Marcelo Frena, para concorrerem, respectivamente, aos cargos de prefeito e vice-prefeito em Laurentino no pleito suplementar de 2020”, disse a sentença.

 

A suspeita de irregularidade na candidatura de Marcelo Rocha, foi referente a regularização eleitoral do candidato, uma vez que o representante do MDB não havia realizada a biometria. Apesar disso, a justiça considerou que a inscrição eleitoral do requerente Marcelo Tadeo Rocha estará automaticamente regularizada após a eleição suplementar, mas antes de uma eventual diplomação, caso seja eleito, ele terá o seu registro de candidatura deferido.

 

O advogado Jean Christian Weiss, que atuou no caso dos dois candidatos, afirmou que não vê chance da decisão ser alterada.

“As condições de ilegibilidade foram preenchidas, não havendo informação que comprovasse ilegibilidade”, disse. “Teremos os três candidatos aptos a concorrer ao pleito do dia 8 de março em Laurentino”, completou.