Estado
Foto: Julio Cavaleiro/Secom

Cláudia Pletsch/DAV

Na manhã dessa sexta-feira (27) o tribunal especial de julgamento formado por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais votaram no plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) pelo arquivamento da denúncia contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL).

Carlos Moisés foi acusado de crime de responsabilidade no aumento salarial dado aos procuradores do estado, essa foi uma decisão do governo estadual tomada em outubro de 2019 e equiparou os salários de procuradores do Estado (advogados que defendem e representam o governo estadual em ações) ao dos procuradores da Assembleia. Com essa decisão o salário dos servidores aumentou em média de R$ 30 mil para R$ 35 mil, e esse aumento representaria um impacto de cerca de R$ 700 mil por mês aos cofres públicos.

Nessa sexta-feira (27) seis votos contrários a condenação do governador decidiram rejeitar o relatório do deputado Kennedy Nunes (PSD) e absolveram o político, agora, ele que estava afastado do governo desde outubro pode voltar ao cargo imediatamente.

Apesar da vitória nessa manhã, Moisés sofre com outro pedido de impeachment, dessa vez ele é acusado por crime de responsabilidade na compra de 200 respiradores para enfrentamento a pandemia de Covid-19. Os equipamentos que custaram R$ 33 milhões foram pagos de forma antecipada e mesmo sem terem chegado ao estado. O relatório do pedido também inclui na denúncia a tentativa da contratação de um hospital de campanha em Itajaí. A data da votação desse processo ainda não foi definida.