Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Quase todo mundo gostaria de ter a possibilidade de conhecer vários países e lugares, mas poucos imaginam fazer isso de bicicleta. Mas é justamente o que o casal, Aline Terezinha Sacht e Vargner Comin está fazendo. Eles saíram de Laurentino nesta semana e ao longo de um ano vão percorrer toda a América Latina sobre duas rodas.

Aline, que é formada em ciências contábeis, conta que coincidentemente ela e o companheiro, que é eletricista automotivo, se conheceram num pedal em Videira e estão juntos há quase cinco anos, sempre unidos pela paixão por ciclismo. A ideia da cicloviagem partiu dela no início do ano passado depois de contrair covid. “Fiquei bem abatida e comecei a pensar que as vezes a gente vai embora e não realiza os nossos sonhos. Olhei para o Vagner e perguntei o que ele achava de viajar de bicicleta e na hora ele aceitou”, relata.

No entanto, colocar a viagem em prática exigiu muito planejamento. Eles precisaram fazer uma preparação a longo prazo, se preparar fisicamente e financeiramente para ficar tantos meses longe de casa e dos empregos. “Também começamos a aprender mais vendo vídeos, como as pessoas faziam durante o trajeto com alojamento e alimentação. Também começamos a nos organizar financeiramente e economizar as coisas para fazer a viagem”, completa.

Na bagagem eles levam apenas algumas roupas, equipamentos de segurança como coletes refletivos, itens para as bicicletas, itens para acampamento como colchão e barraca e alguns outros objetos. Foi preciso economizar já que tudo precisa ser transportado por eles, mesmos sob duas rodas. Ao todo o peso total da bagagem é de 54 quilos.

Vagner conta que nas bikes foram adaptados bagageiros e suportes para bolsas. “Tivemos dois obstáculos porque nossas bicicletas não são próprias para cicloturismo, então não tinha suporte para bagageiro e a gente não queria abrir mão da suspensão, por isso fizemos algumas adaptações”, explica.

O plano é fazer a viagem em um ano, mas Aline revela que se os dois quiserem podem encurtar ou estender o passeio. “Se a gente gostar muito e conseguir uma forma de se sustentar na viagem por mais tempo podemos prolongar, mas o roteiro traçado é de um ano fazendo cerca de 15 mil quilômetros”, finaliza.