Alto Vale, Cidade, Segurança

A Associação Protetora dos Animais Desamparados (Apad) de Rio do Sul registrou centenas de casos de abandono nessa semana. Por conta das cheias, as famílias que precisaram deixar suas residências também acabaram deixando seus bichos de estimação para trás. Em alguns casos, a crueldade foi maior ainda. Só na madrugada de quinta-feira (1º), a Apad resgatou quatro cachorros que estavam amarrados dentro de casa e corriam risco de vida.

Em nota publicada no Facebook, a associação ressaltou que está recebendo diversos pedidos de ajuda, por conta dos animais trancados nas residências dos bairros atingidos pelos alagamentos. “Temos tantas leis, só não temos o apoio necessário. Temos inúmeros boletins de ocorrência, sendo que não temos audiências. Registrar um B.O. por maus tratos e não ter continuidade… que triste! Queremos o apoio das autoridades”, diz a publicação.

O diretor financeiro da Apad, Jailson Losi, conta que a associação também está cuidando dos animais que estão nos abrigos. Os voluntários levam ração, coleiras, casinhas e correntes, além de também atuarem no resgate dos bichos que estão em situação de perigo. “A Prefeitura nos repassou a responsabilidade de cuidar de todos os animais do abrigo, então a gente se dividiu em voluntários, visitamos todos os abrigos, estamos levando ração, pedindo que as pessoas levem para o abrigo, mesmo que não possam levar para o lado de dentro, mas deixem para o lado de fora”, explica. Jailson conta que cerca de R$ 600 já foram gastos em ração, e a Prefeitura Municipal não forneceu os recursos para isso.

 

Preocupação

Segundo Jailson, a maior preocupação da Apad são os animais trancados e amarrados nas residências atingidas pelas cheias. Para o diretor, quando eles estão soltos nas ruas ainda possuem chances de sobrevivência, pois vizinhos ou voluntários chegam até os bichos com mais facilidade. “A comunidade colaborou nesses casos. A gente divulgou e as pessoas que moravam próximo foram e ajudaram a salvar. A água chegando, os cachorros amarrados, latindo e uivando. É triste demais, a água subindo, olhar para o meio da água e saber que tem um bicho lá que vai morrer amarrado. É muita inconsequência, é muita falta de amor do ser humano”, lamenta.

Até o momento, todos os animais foram salvos, e estima-se que centenas deles tenham sido abandonados nessa semana. “Nós entramos no Cohab do Bela Aliança, só naquela rua tinha uns 15 animais soltos. Então, abandono deve ter centenas de casos”, ressalta Jailson.
Casos de abandono estão sendo divulgados através da página da associação no Facebook. Para ajudar a Apad, basta entrar em contato através da rede social.

Carolina Ignaczuk