Alto Vale
Foto: Rafael Beling/DAV

Santa Terezinha recebeu no sábado (30), na Câmara de Vereadores do município, a Assembleia Geral da União de Câmaras de Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi). Os edis foram recepcionados pela prefeita Walquiria Schwarz (PSD) e pelo presidente do Legislativo municipal, Vilson Blonkowski (PMDB), que destacaram a realização da 11ª Festa Regional do Mel e 1ª Expofeira da Agricultura Familiar, atividades alusivas ao 26º aniversário do município.

O presidente da Ucavi, Elcio Bonacolsi (PMDB), agradeceu a receptividade da prefeita, considerando que a Assembleia foi inclusa nas atividades comemorativas do município, e destacou a importância do tema a ser discutido, a abertura do Centro Oncológico do Hospital Regional Alto Vale. “Temos conhecimento que as obras foram concluídas no fim de abril e até agora este setor não foi aberto. Queremos saber de que forma podemos auxiliar”, declarou.

Bonacolsi mostrou-se sensibilizado com a falta de qualidade de vida dos pacientes portadores de câncer, e o alto custo dos investimentos realizados pelos municípios no Tratamento Fora de Domicílio (TFD). “Todos os dias saem caravanas de ambulâncias indo a Lages e Florianópolis com esses pacientes para fazer quimioterapia, radioterapia. O Centro Oncológico está pronto para ser aberto, mas ninguém está querendo assumir”, lamenta.

O presidente da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí (Fusavi), Manoel Arisoli Pereira, fez uma palestra aos presentes abordando os motivos que impedem a abertura do Centro. O grande impasse encontra-se no credenciamento do serviço junto ao Ministério da Saúde. “A Fusavi não tem condições de pagar pelo serviço, por isso não abrimos. O Ministério da Saúde diz que só poderá efetivar o credenciamento se o Centro estiver em funcionamento”, explica.

Ele explicou que os deputados federais João Paulo Kleinubing (PSD) e Carmem Zanotto (PPS) estiveram reunidos com representantes da Fusavi e se comprometeram em garantir um aporte de R$ 500 mil para abertura parcial do Centro, que operaria com aproximadamente 25% da capacidade máxima.

Esse recurso seria dividido para subsidiar o serviço durante quatro meses, prazo que os parlamentares teriam para conseguir efetivar o credenciamento do serviço junto ao Ministério da Saúde. “Um hospital que tem um déficit financeiro mensal da ordem de R$ 250 mil, somado à despesa do Centro de Oncologia que será da ordem de R$ 400 mil, nós quebramos o hospital em 90 dias. Não temos como assumir isso”, lamenta.

Os vereadores presentes na Assembleia colocaram-se à disposição para intervir junto a lideranças políticas com o objetivo de pressionar a efetivação do credenciamento. “Teremos que mobilizar Câmaras de Vereadores, Prefeituras Municipais, entidades públicas e privadas, e fazer com que esse setor urgentemente venha a funcionar no Alto Vale”, destacou o presidente Elcio Bonacolsi.

Viagem dos prefeitos a Brasília

A prefeita de Trombudo Central, Geovana Gessner (PMDB), representou o presidente da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi), Humberto Pessatti, o Betão (PMDB).

Na oportunidade destacou a viagem a Brasília organizada pela Amavi, que contou com a presença de diversos prefeitos da região. “Nós fomos recebidos pelo presidente Michel Temer, que é quem tem a caneta na mão para garantir recursos no orçamento do ano que vem. Muita gente não acredita, mas é dessa forma, com pressão, que conseguiremos alcançar nossos objetivos”, destacou.

Entre as reivindicações levadas a Brasília, estão a liberação de recursos para manutenção e continuidade das obras de duplicação da BR-470, o requerimento para que o Imposto Sobre Serviços (ISS) de operações financeiras feitas através de cartão de crédito e débito, entre outras, ficasse para os municípios e também a garantia para que o Sistema de Inspeção Municipal (SIM) seja inserido no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi), dando maiores condições de comercialização de produtos, principalmente de origem da agricultura familiar.

Moções

Durante a Assembleia também foram discutidas moções encaminhadas pelas Câmaras de Vereadores de Pouso Redondo, Lontras, Presidente Getúlio e Dona Emma.

De Presidente Getúlio os vereadores trouxeram a reivindicação para que seja revista a lei Federal em relação ao enquadramento das atividades têxteis e de facção, levando em consideração os impactos na economia local, nas receitas municipais e na saúde financeira dos municípios.

Os lontrenses fizeram uma Moção cobrando melhorias na SC-110, que liga a BR-470 aos municípios de Lontras e Presidente Nereu. Sinalizaram também a necessidade da criação de uma lei estadual que repasse 50% do Imposto Para Veículos Automotores (IPVA) para as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), descentralizando recursos para manutenção de rodovias estaduais.

A Moção encaminhada pelos vereadores de Dona Emma ao Departamento de Infraestrutura (Deinfra) sugere a instalação de lombada de redução de velocidade na rodovia de acesso Aléssio Gadotti, próximo à empresa Real Lâminas e Compensados.

Os vereadores de Pouso Redondo encaminharam Moção ao secretário de Estado de Saúde, Vicente Augusto Caropreso, para que viabilize o credenciamento do Centro Oncológico do Hospital Regional Alto Vale junto ao Ministério da Saúde.

A prefeita Walquiria destacou a pertinência dos temas abordados, que têm como objetivo melhorar a vida dos cidadãos da região do Alto Vale, e agradeceu a visita de todos. “Sei da importância da participação nessas reuniões, para adquirir mais conhecimento para a troca de experiências e também, a discussão de temas relevantes para nossa região”, finaliza.

Rafael Beling