Alto Vale, Cultura

O Consórcio Empresarial Salto Pilão (Cesap), que é o dono da Usina Hidrelétrica Salto Pilão, apresentou os investimentos em projetos socioambientais que serão desenvolvidos na região neste ano. Três iniciativas terão investimentos estimados em R$ 300 mil.

O anúncio foi apresentado para os prefeitos dos municípios que são abrangidos pelo empreendimento (Lontras, Ibirama e Apiúna), na tarde desta terça-feira (28), no próprio auditório da Usina Hidrelétrica Salto Pilão.

O primeiro projeto apresentado foi o livro, que reúne a fauna da região, onde foram catalogadas espécies de mamíferos, aves, anfíbios e répteis. A publicação conta com 170 páginas e nessa primeira edição tem uma tiragem de 1000 exemplares que serão distribuídos para as escolas dos três municípios. O coordenador de licenciamento e sustentabilidade da CSC Energia, Paulo César Ribeiro, explica que o livro foi desenvolvido por quatro autores e que todos os animais presentes estão de alguma forma registrados na obra. “Traz a totalidade das espécies em uma lista que faz parte do livro, por questões de didática, foram selecionadas as espécies que a gente tinha um acervo de fotos e também selecionamos aquelas que a gente entende como algumas espécies de interesse especial, para o grupo de fauna”, declarou.

O objetivo do livro é traduzir os resultados do Programa de Monitoramento de Fauna que é desenvolvido pela usina hidrelétrica desde 2008. O livro foi pensando de uma forma bem didática, ou seja, as informações foram organizadas de forma acessível e prática, como nome científico da espécie, nome popular, características principais e curiosidades como hábitos. “É um livro, que ao folhear ele, você consegue rapidamente identificar a espécie, os hábitos, a região de abrangência geográfica, e as questões de ordem, caso a espécie seja mais vulnerável com algum grau de ameaça”, informou.

Educação

O segundo projeto anunciado para as autoridades na região, foi a Parceria Votorantim pela Educação (PVE), a empresa é uma das acionistas do consórcio Cesap e desenvolve esse projeto pelo Brasil, desde 2009, mais de 50 municípios pelo país já foram contemplados, neste ano, serão 53 cidades em todo o território nacional, três delas, aqui no Vale. “Esse programa acontece em municípios que estão próximos aos empreendimentos da

Votorantim, no caso aqui a Salto Pilão, então, a escolha dos municípios em si foi feita pela própria usina, são os municípios de maior relação com a usina”, disse o gerente geral da Votorantim, Rafael Gioielli, se referindo a Lontras, Ibirama e Apiúna.

O programa busca melhorar a oferta de educação pública nos municípios, para isso, trabalha com as redes municipais e com a direção das escolas, além de fomentar o fortalecimento da demanda pela educação com as comunidades e o valor social do ensino. Segundo Gioielli, o PVE ajuda a acelerar os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “A gente avalia a cada dois anos a evolução do Ideb dos municípios que participam do programa, e hoje a gente já tem dados consistentes que o programa acelera a evolução do Ideb entre 38% e 45%”, afirmou.

Rio Itajaí

A quinta edição da campanha ‘O Rio Itajaí Pede Nossa Ajuda’, também foi lançada diante da presença dos diretores do Cesap. Criada em 2012 para conscientizar a importância da preservação dos rios, principalmente o Rio Itajaí, a campanha já desenvolveu diversas ações entre palestras, distribuição de material educativo, reuniões e mutirões de limpeza. Em quatro anos a soma de investimentos com a campanha, foi de cerca de R$ 950 mil. Neste ano serão investidos R$ 150 mil. Entre as ações a serem realizadas, estão a educação ambiental com 15 mil alunos, visitas para 5 mil moradores e palestras com cerca de 500 agricultores, em parceria com a Associação das Agropecuárias da Bacia do Rio Itajaí (Aabri).

A campanha neste ano irá abranger os municípios de Aurora, Ituporanga, Laurentino, Lontras, Rio do Sul e Trombudo Central, que ficam a montante da barragem da usina. O coordenador e criador da campanha, Rubens Habtzreuter, comenta que neste ano, a iniciativa contará com novidades. “Nós vamos fazer parceria com as CDL’s [Câmaras de Dirigentes Lojistas] de alguns municípios para nos engajarmos no programa de coleta de lixo reciclável que eles possuem, vamos fazer um trabalho com o aterro sanitário da Serra São Miguel, porque está sendo lançado muito material reciclável”, explicou. Uma escola da rede municipal de Lontras também será escolhida, para a realização de atividades ambientais.

A campanha foi criada diante da necessidade de se reduzir a quantidade de lixo lançado no rio, que foi percebida na barragem da usina. Entre os materiais mais comuns estão a madeira de árvores e o lixo doméstico descartado incorretamente pela ação humana. “O rio continua doente porque nós continuamos maltratando o rio, mas a situação é bem melhor do que encontramos em 2012, mas ainda temos que ter mais atitude e mais ações por parte da comunidade para que possamos ter melhores resultados e de limpeza desse rio”, concluiu.

Albanir Júnior