Alto Vale, Cultura

Na última semana, nasceu na cidade de Ascurra uma iniciativa que envolve arte e bem-estar social. O projeto “Cine Cras – Vamos Falar Sobre Isso?”, idealizado pela equipe do Centro de Referência de Assistência Social do município, tem como objetivo utilizar o cinema como ferramenta de articulação, promovendo reflexões por meio dos temas abordados nos filmes, documentários ou curtas-metragens exibidos, tais como: violência, amor ao próximo, convivência família, esperança, educação, sexo, drogas, relacionamentos, entre outros. No primeiro encontro, o tema escolhido foi “Gravidez na Adolescência”, abordado através da exibição do curta-metragem “E Agora Elena?” e do documentário “Meninas”.

A assistente social Vanessa Monique Fava, que ao lado da psicóloga Leila Cipriani realiza este trabalho, afirma que neste primeiro momento foram 15 adolescentes participantes, mas que o objetivo é alcançar mais de 30 adolescentes por exibição. “Nós iremos ampliar estes convites e esperamos que assim tenhamos mais pessoas. Lembrando que o público beneficiário que a gente atende são do Bolsa Família e acompanhados do PAIF (Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias)”, afirmou Vanessa, que lembra que estes jovens não sofreram nenhuma situação de direito violado, sendo no caso, trabalhada a prevenção.

Por meio da exibição dos vídeos, houve espaço para o diálogo sobre o tema e demais assuntos relacionados a ele. O intuito é fazer com que os adolescentes tenham acesso à informação pelo entretenimento e lazer que o cinema proporciona, garantindo episódios de descontração entrelaçados com momentos de reflexão e conhecimento.

A psicóloga do projeto, Leila Cipriani, revela que a arte é uma das ferramentas encontradas pelos profissionais para obterem melhores resultados e engajamento dos jovens, pois a linguagem toca eles de forma mais efetiva e natural. “Com os adolescentes nossa principal estratégia é por meio da arte. No caso aqui a gente escolheu o cinema e temos bastante cuidado com os filmes ou curtas-metragens que a gente vai passar, para estarem dentro da faixa etária apropriada. Mas a gente entende que sim, que falando a língua deles, falando o mais claro possível, é a maneira mais efetiva de dialogar com esse público, pois é um público que costuma ser mais difícil de conversar e assim temos conseguido prevenir uma série de situações por meio das artes, desenho, cinema ou outra forma”, comentou Leila.

A próxima sessão será no dia 13 de abril com o tema escolhido pelo grupo: Abuso Sexual. Para mais informações, basta entrar em contato com o CRAS de Ascurra pelo telefone (47) 3383-1420.