Alto Vale, Saúde

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Depois de passar do risco grave para gravíssimo, de acordo com a classificação do Governo do Estado, e com o número de infectados subindo significativamente a cada dia, o Alto Vale deve ganhar novos leitos de UTI nos próximos dias. A ampliação já foi confirmada no Hospital Bom Jesus (HBJ) em Ituporanga e autoridade de saúde tentam também aumentar o número de leitos no Hospital de Ibirama.

A diretora do HBJ, irmã Edelir Stuepp, conta que por solicitação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), na unidade mais cinco leitos devem ser abertos no início de agosto. “Nos reunirmos internamente para ver essa possibilidade e agora estamos estruturando, dando todos os encaminhamentos para que início de agosto esse leitos já estejam à disposição da comunidade”, afirmou.

Atualmente a unidade possui 10 leitos de UTI e tem praticamente 100% de ocupação na maioria do tempo. Já os cinco novos leitos ainda estão sendo montados na ala respiratória e serão destinados apenas a pacientes de Covid. “Desde o início da pandemia já começamos a nos preparar para essa possibilidade. Os leitos já estão sendo utilizados como leitos clínicos, mas o Estado vai encaminhar os ventiladores e monitores para equiparmos esses leitos e transformarmos em terapia intensiva por inicialmente 90 dias. Se houver necessidade esse prazo pode ser ampliado”, revela.

A regulação dos leitos, como em todas as unidades de Santa Catarina será feita pelo Governo do Estado e assim como o Hospital Regional que ampliou os leitos de UTI na segunda-feira (27), o HBJ vai oferecer o serviço, mas ainda não conseguiu o credenciamento do Ministério da Saúde, que na prática significa o pagamento pelos novos leitos.

Expectativa para novos leitos em Ibirama

Em Ibirama a expectativa é de que o Hospital Doutor Waldomiro Colautti possa habilitar 10 novos leitos de UTI para pacientes com Covid. Essa vem sendo a cobrança feita pela Comissão Intergestores Regionais de Saúde (CIR) em diversas reuniões com representantes do Governo do Estado.

A coordenadora da CIR, Cláudia Regina Ferreira, afirma que a cobrança tem sido constante. “A CIR entende que é importante sim os leitos nos hospitais filantrópicos como o Regional e o Bom Jesus, porém é importante que o Estado também faça sua parte na sua instituição. O Hospital Waldomiro Colautti é um hospital estadual e não tem recebido a atenção devida por parte do próprio Estado”, cobrou.

Ela ressalta ainda que toda a estrutura física em Ibirama já está pronta, mas falta os equipamentos e profissionais de saúde. “Estivemos pessoalmente no COES, acompanhados da direção do hospital, e existe o compromisso que saia esses leitos de UTI, mas ainda tem toda uma parte burocrática que precisamos vencer e isso tem que ser feito de forma urgente porque o nosso cenário, a nossa curva está muito acentuada na região”, conclui.