Alto Vale

Albanir Júnior

A pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC) aponta que o consumidor catarinense deve gastar em média R$ 165,77 com o Dia das Mães. O valor é 3,7% maior que o da pesquisa realizada no ano passado, ou seja, na prática há uma diminuição na intenção de gasto, já que a inflação acumulada de 2016 foi de 6,29%.

A pesquisa ouviu 2.011 pessoas em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville e Lages. Nos municípios mais próximos do Alto Vale, houve variação na intenção de gasto, em Blumenau os consumidores estimaram R$167,76, em Lages o valor foi R$147,01.

O presidente do Sindicado do Comércio Varejista do Alto Vale do Itajaí (Sindicomércio), Orival Henrique Seola, estima que na região o gasto deve refletir a média estadual. “Com essa sinalização de que a economia brasileira começa a caminhar aos poucos, o consumidor também volta ao mercado, volta a consumir, por esta razão nós acreditamos que estaremos dentro dessa média sim, levando em consideração a nossa renda per capita regional”, observou.

A opção de pagamento em dinheiro foi citada por 71% dos consumidores ouvidos na pesquisa, seguida pelo parcelamento no cartão de crédito com 11,9%, a compra à vista no cartão de crédito foi citada por 6,2%.

No Alto Vale, a preferência pela compra no dinheiro também deve dominar os pagamentos de presentes para a data especial. Seola observa que na região o consumidor é conservador e responsável. “Ao comprar à vista ele consegue barganhar melhor os preços, além de controlar o endividamento”, lembrou.

A data é a segunda mais importante para o comércio, dentro da realidade atual, o presidente do Sindicomércio comenta que o volume de vendas até o momento tem atendido as expectativas. “Vamos incluir aí a mãe, a avó, a tia, por menor que seja o valor o consumidor vai às compras, ele não deixa de presentear”, declarou.

De acordo com o levantamento, o setor que deve lucrar mais é o do vestuário, opção de presente de 43% dos entrevistados, seguido de perfumes e cosméticos com 13,3% e o de bolsas e calçados com 10,8% da preferência.

No Alto Vale, o setor de roupas também deve ser o líder de vendas, um dos principais motivos que favorece o setor é a troca de estação. “A creditamos que o vestuário estará liderando as vendas com folga, porque você junta o benefício de presentear a pessoa que você quer, com algo que ela vai usar de fato, é mais uma forma do consumidor fazer a compra consciente”, concluiu.


Conselho de Educação toma decisão polêmica em Rio do Sul