Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Zequinha da Viola é conhecido no Alto Vale por levar o sertanejo raiz em suas quase 70 músicas autorais gravadas em quatro CD’s, shows e muitas cópias vendidas na região. Atualmente ele mora em Lontras e está com 77 anos, mas os planos são de continuar as gravações e ampliar as plataformas de divulgação.

José de Souza ou Zequinha da Viola como é conhecido, descobriu a paixão pela música muito cedo. Quando criança já gostava de instrumentos musicais e de criar rimas, mas na época comprar um instrumento não era tão fácil e por isso a conquista levou algum tempo.  De família humilde, ele e o irmão pediram ajuda aos pais, mas as condições não eram boas e o auxílio financeiro não foi possível. Mesmo assim, a fim de apoiar os filhos, eles permitiram que os garotos trabalhassem alguns dias com vizinhos para comprar os instrumentos. Depois de uma longa jornada, conseguiram o dinheiro e e fizeram a tão sonhada aquisição.

Poucos meses depois, sem professor, Zequinha aprendeu a tocar, começou a se apresentar em eventos na cidade com um grupo.  O tempo foi passando e muitas coisas mudaram na vida dele. Ele se casou, teve filhos, mas o amor pela música só crescia. O músico incentivava também os filhos e por muito tempo todos participavam de alguma forma da banda. Um deles, o Odair, seguiu os passos do pai e é um exemplo do amor repassado de geração em geração, já que ele trabalha com música até hoje e também ensinou música ao filho.

Odair é professor e produtor musical. Após muitos anos de experiência nos palcos, conseguiu o próprio estúdio e pode retribuir o apoio do pai gravando seus quatro CD’s. “Ao todo tenho 67 músicas juntando os quatro CD’s e até queria gravar mais, mas é difícil de vender porque hoje em dia é mais fácil colocar as músicas na internet. Tudo isso, quem faz é o Odair. E se hoje as músicas tocam nas rádios é por causa dele. Se estão no youtube também é por ele.”, comenta Zequinha.

No Alto Vale, Zequinha já participou de vários programas de TV e rádio para divulgar seu trabalho e lembra de agradecer às oportunidades. “Graças a Deus muitas pessoas boas abriram espaço para divulgar o trabalho, foram várias rádios, programas de TV e se as pessoas me conhecem é por causa disso”, avalia. “Tenho 67 músicas gravadas em quatro CD’s, mas são muito mais composições”, acrescenta.

Questionado sobre a inspiração para escrever as canções, Zequinha explica que as letras contam histórias da vida real. “Todas falam de situações do cotidiano, de vida em melodias de sertanejo raiz um estilo que eu sempre gostei e que agrada muita gente. Até um locutor do estado de São Paulo entrou em contato para falar que toca as minhas músicas na rádio em que trabalha e isso é muito importante, ver que as pessoas estão gostando do que a gente faz”.

Ao falar sobre sua idade, ele garante que mesmo com 77 anos não se sente velho. “A música me mantém com a alma jovem, porque a idade está no coração e não me sinto velho. Quaro poder continuar, cada vez mais, acompanhando o sucesso da minha família, dos meus filhos e netos e os planos são de continuar escrevendo e registrando as canções. Também quero que o meu trabalho esteja presente cada vez mais nas plataformas digitais”, finaliza.