Médio Vale
Polícia foi acionada para atender ocorrência em posto de saúde - Foto: reprodução

Uma discussão em um Posto de Saúde virou caso de polícia em Apiúna. Uma mulher que aguardava atendimento na unidade de saúde discutiu com uma enfermeira, após tentar conversar com o secretário de saúde, Jaíson Bento. O desentendimento, segundo a paciente, foi pela demora no agendamento de uma consulta médica e gerou polêmica nas redes sociais.

Foto: Arquivo/DAV

Segundo a paciente Janete Ferreira Schmidt ela foi a unidade de saúde, na Avenida Florianópolis, para agendar uma consulta com um médico especialista em neurologia. Janete disse que desde janeiro apresentou a necessidade e aguarda para que seja marcada a consulta. Ainda segundo ela, o desentendimento no posto de saúde tomou proporções desnecessárias e que tudo não passou de um mal-entendido.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

“Pedi então para falar com o Jaíson, para ver o que poderia ser feito, se vão marcar ou não, se eu teria que tentar marcar particular mesmo. Ela me disse que o Jaíson não estava lá, que estava em outra sala. Daí eu fui na sala dele e estava uma enfermeira lá. Pedi para falar com ele e ela disse que ele estava atendendo um paciente e não podia me atender. Eu disse que ia esperar por ele na sala dele. Fui pra lá, sentei lá e fiquei esperando. Depois ela chegou e acusou que tinha derrubado uns papeis e aí a gente acabou discutindo. Ela disse que era desacato a autoridade e que iria chamar a polícia”, conta Janete.

O secretário de saúde do município contou que a história ganhou proporções maiores do que a realidade e que inverdades compartilhadas nas redes sociais só prejudicam o atendimento da saúde aos pacientes.

“Os pacientes precisam de ajuda e estamos aqui para ajudar. Surgiu um monte de boatos que são inverdades e isso acaba manchando a imagem de Apiúna e da paciente em si, que também está bem chateada com a situação. É complicado quando ficam falando mentiras nas redes sociais e nos veículos de comunicação.”

Janete, que aguarda a consulta com o especialista há nove meses, conta que recebe um bom atendimento no posto junto aos médicos, mas afirma que na ocasião foi destratada pela enfermeira.

“Eles tratam a gente tão mal. Eu não tenho nada contra o posto de saúde, os médicos são ótimos, eu já fui muito bem atendida. Acho que não precisava ela ter chamado a polícia. Ela disse que eu invadi a sala, que joguei as coisas no chão, que teve desacato a autoridade. Eu gosto muito do povo de Apiúna. Só não gostei o que falaram de mim, eu não agredi ninguém. Foi tudo um mal entendido”, conta.

O secretário não estava na sala durante o ocorrido e informou que auxiliava em um atendimento quando tudo aconteceu. Segundo a paciente e o secretário de saúde a questão foi alinhada com diálogo e a consulta que motivou a discussão será marcada em breve.

“Teve sim uma agressão verbal, mas não chegou a machucar ninguém, ninguém foi ferido. Foi conversado com a paciente e a família e foi resolvido. Só que a coisa está se estendendo num porte, com mentiras, que está prejudicando ainda mais o atendimento da saúde e a saúde dos pacientes”, disse Jaíson.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Ele informou ainda que os atendimentos dentro da Saúde estão funcionando dentro da normalidade e com novos médicos nos postos.

“Apiúna sempre esteve muito bem na saúde. Claro que tem questões que não dependem da gente e sim do Ministério da Saúde, mas a gente sempre explica bem para a população. A situação aqui dentro do Posto de Saúde, deixa o pessoal desanimado com o que aconteceu nas redes sociais. A gente tenta trabalhar sempre da melhor maneira possível e essas coisas desanimam todos, tanto pacientes quanto quem trabalha aqui”, finaliza o secretário.

Susana Lima

Veja também as últimas atualizações: