Alto Vale
Foto: Divulgação

Helena Marquardt/DAV

Após uma Ação Civil Pública do Ministério Público de Santa Catarina para investigar supostas irregularidades que estariam sendo cometidas na Associação de Acolhimento de Crianças e Adolescentes Albertina Berkenbrock, em Vidal Ramos, a diretora do abrigo foi temporariamente afastada pela justiça. A decisão foi do juiz Eduardo Nardelli e o processo tramita em segredo de justiça.

Segundo a Ação Civil Pública, as denúncias foram feitas pela própria equipe técnica da instituição e entre as irregularidades supostamente cometidas pela coordenadora Maria de Lurdes Junglos Back estão uso indevido do carro do abrigo, problemas relacionados aos direitos trabalhistas de monitoras e cuidadoras e até negligência com a alimentação das crianças acolhidas que em alguns dias teriam apenas feijão e farinha para jantar.

No processo, o MP solicitou diversas informações à diretoria do abrigo e determinou que fossem apresentados comprovantes de rendimentos de todos os funcionários, inclusive da gestora nos últimos dois anos, além de apresentação do balancete contábil mensal dos últimos dois anos detalhando todas as receitas e despesas da entidade.

O MP ainda pediu esclarecimentos do motivo de alguns servidores que exercem a mesma função e no mesmo turno, possuírem remunerações diferentes. Outro questionamento foi porque o Poder Judiciário não foi notificado de graves ocorrências que teriam acontecido no abrigo como a internação psiquiátrica de crianças e adolescentes.

A Associação foi fundada em 2015 e atende crianças e adolescentes de zero a 18 anos, em situação de violação de direitos garantidos pelo Estatuto da Criança e Adolescente dos sete municípios da Comarca de Ituporanga, mediante Termo de Colaboração firmado pelas prefeituras com a instituição. Através de uma espécie de convênio cada município paga um valor para poder abrigar crianças temporariamente em Vidal Ramos sempre que for necessário.

O que diz a coordenadora?

A reportagem procurou Maria de Lurdes Junglos Back para que ela comentasse o afastamento, mas ela afirmou que foi orientada pelo seu advogado de que não deveria se manifestar nesse momento.