Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem:Helena Marquardt/DAV

Em entrevista ao Jornal Diário do Alto Vale, o coronel da reserva, Dionísio Tonet, que foi candidato a prefeito de Rio do Sul pelo PSL, comentou a denúncia do deputado estadual Kennedy Nunes, do PSD, que registrou um boletim de ocorrência contra ele e contra seu irmão, o atual comandante geral da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), Dionei Tonet. Ao DAV o militar negou que tenha feito qualquer tipo de ameaça.

Tonet declarou que sequer conhece pessoalmente o deputado estadual com base eleitoral em Joinville e que as denúncias seriam motivadas por descontentamento em relação a decisões tomadas pelo atual comandante geral da Polícia Militar de Santa Catarina. “Estou tranquilo. Essas acusações não tem nenhum fundamento”, disse.

Dionei Tonet também foi procurado pela reportagem do DAV, mas informou que não vai se manifestar.

A denúncia

O parlamentar compareceu na 7ª Delegacia Regional de Polícia de Joinville com diálogos de uma rede social, que supostamente continham ameaças públicas. Em uma das conversas, atribuídas ao coronel Dionísio Tonet, ele teria feito afirmações como “Põe inútil nisso. Vai ganhar uns “presentinhos”. É só aguardar”.

As ameaças, segundo o parlamentar, são consequência de denúncias de irregularidades administrativas no comando geral da Polícia Militar que ele teria feito recentemente. “Ameaça grave, não só à minha integridade física, mas também de coação ao meu trabalho de investigação, por conta das denúncias que protocolei no gabinete do governador, no Ministério Público do estado e no Tribunal de Contas contra improbidades administrativas feitas pelo alto comando da PM”.

O deputado declarou que não aceitaria esse tipo de ameaça e seguirá trabalhando.