Sem categoria
Foto: Divulgação

Reportagem: Cláudia Pletsch

Um anseio antigo dos moradores de Aurora deve começar a ganhar forma, a terraplanagem para a construção da nova creche do município já está sendo concluída e a construção deve ser licitada na próxima semana. O projeto avaliado em R$ 3 milhões terá capacidade para receber aproximadamente 300 crianças e o recurso é proveniente do Fundo Nacional do Desenvolvimento (FNDE).

O secretário da Educação, Cultura e Desportos de Aurora, Jaimir Ferreira, explica que a unidade será construída no centro do município, porém em um local mais alto, justamente para diminuir os riscos de alagamento em enchentes. “A gente tem duas creches que já pegaram várias enchentes, então precisávamos urgentemente da construção desse novo prédio. Tivemos também algumas dificuldades para colocar todas as crianças naquelas duas creches, então estávamos precisando de mais vagas e era um anseio muito grande, creio que a educação de Aurora precisa urgentemente de melhorias e isso só vem a nos ajudar nesse momento”, ressalta.

O prazo para entrega da obra completa ainda é longo e vai depender do andamento dos trabalhos, mas Jaimir explica que a previsão é para o início de 2022. “Temos que ver primeiramente qual a empresa que vai ganhar para dar início a tudo isso, a gente sabe que é uma obra grande e não é do dia para a noite que a gente vai conseguir entregar, mas como agora vai ter continuidade no trabalho do prefeito eu acredito que vamos conseguir estar com o estudo em dia e creio que a creche poderá estar pronta em 2022 pois como eu disse é uma obra muito grande”, ressalta.
O benefício não será somente para os pais e crianças que ganharão um espaço amplo e seguro, mas também para os professores. Jaimir explica que esse espaço deve acolher as crianças que hoje ficam nas outras duas creches do município. “A gente vai trazer com certeza para a creche nova o Centro Tia Emília que é uma construção antiga de muitos anos e ainda assim vai sobrar muitas vagas e é bom que a gente não vai ter lista de espera. Vamos conseguir colocar todos os nossos alunos nesse espaço físico muito melhor e que com certeza vai melhorar muito a qualidade de ensino da educação infantil. Os professores também terão mais acesso a muitas coisas que a gente ainda tem muita dificuldade pela falta de espaço físico que temos agora”, finaliza.