Esporte
Foto: Daniel dos Santos/Esporte Alto Vale

Depois de alguns dias do início da confusão sobre a realização ou não da partida de volta da final do Campeonato Regional, promovido pela Liga Riosulense, a equipe do Cruzeiro se manifestou oficialmente sobre o caso. O clube de Presidente Getúlio informou nesta sexta-feira (24) que decidiu não disputar a partida e ainda sair do campeonato a partir da próxima temporada.

“Iremos nos retirar da competição por não acreditar nos mesmos ideais do presidente [Osmar Correa]”, afirmou o dirigente getuliense Odenilson Pereira. Em cinco temporadas, o Cruzeiro foi finalista em todas as oportunidades e venceu o torneio por três vezes. Na temporada passada, o clube perdeu o título nos pênaltis para o Rio do Sul Futebol Clube.

Mani, como é conhecido, disse que foi surpreendido com a decisão de não poder sediar o jogo. “De forma precipitada, por uma decisão particular do presidente da Liga, foi baixado um decreto anunciando que aqui não seria feita a decisão. Me pegou de surpresa. Sendo que a grande importância este ano seria fazer a decisão em casa, para mostrar que aqui sempre será um local que ama o esporte e valoriza todos os clubes que gostam do esporte”, frisou.

De acordo com o dirigente, o clube de Presidente Getúlio protocolou no dia 13 de novembro, em todos os órgãos competentes, a vistoria do estádio Bernardo Muller. Além de preparar todos os documentos necessários para que o evento acontecesse. A vistoria no local, segundo a informação, seria realizada pela Polícia Militar de Ibirama na quinta-feira (23), às 15h.

“Por isso corremos atrás para dar a melhor segurança a todos os torcedores e famílias que aqui estariam na grande final. Meu pai, com 75 anos, fabricou 16 bancos especiais para a torcida de Rio do Sul, sendo que ele se colocou à disposição para com a minha mãe receber os rio-sulenses. Havíamos também preparado uma homenagem a todos os dirigentes dos clubes, porque sei do empenho que cada um teve nesta temporada”, afirmou.

O Cruzeiro ainda não se manifestou oficialmente sobre qual competição disputará a partir da próxima temporada. “Peço desculpas a todos. Saio com o coração partido, mas com o sonho realizado de ter participado da Liga Riosulense de Futebol, de tantas glórias e tradições. Abraços a todos e parabéns a todas as equipes que enfrentamos e aprendemos muito a admirar nestes cinco anos de competição”, completou.

Entenda o caso

Durante a partida de ida da final realizada no estádio Municipal Alfredo João Krieck, em Rio do Sul, no dia 19, foram arremessados dois copos de cerveja dentro do campo por torcedores do Cruzeiro, que foram identificados pela segurança. Além disso, os dirigentes da Liga Riosulense afirmam que foram pressionados ao deixar o campo por jogadores do Cruzeiro e pela torcida no lado de fora do estádio.

Com toda essa confusão, o presidente da LRF, Osmar Correa, decidiu na terça-feira baixar um ato administrativo, atitude permitida pelo regulamento, impedindo a realização da partida em Presidente Getúlio, pois a Polícia Militar não enviaria segurança para o local.

Em entrevista coletiva realizada na quarta-feira, na sede do Batalhão de Polícia Militar em Rio do Sul, o tenente-coronel Renato Abreu afirmou que o órgão poderia ir à cidade de Presidente Getúlio, desde que o clube solicite uma vistoria e realize as possíveis adequações no local. O Cruzeiro não enviou representante ao encontro.

Na mesma reunião, o presidente da Liga Riosulense, Osmar Correa, afirmou oficialmente ser possível a retirada do ato administrativo e o jogo acontecer no estádio Bernardo Muller, desde que a Polícia Militar libere o local.

Apesar de todas as mudanças no decorrer da semana, o clube de Presidente Getúlio decidiu oficialmente se manifestar nesta sexta-feira e afirmou que não disputará o jogo e também não participará do Regional nas próximas edições.

Daniel dos Santos/Esporte Alto Vale