Cidade

O período do dia 4 ao dia 13 de maio é marcado por um movimento pela vida em todo o país. Em muitas cidades, eventos acontecem para que o suicídio seja prevenido, é a Semana de Valorização da Vida. Em Rio do Sul, porém, a agenda para esta data está vazia. O município, onde há alguns anos funcionava uma das sedes do Centro de Valorização da Vida (CVV), no momento está sem prédio e sem número de atendimento fixo para pessoas que procuram ajuda.

Um grupo da cidade tenta reestruturar o CVV, mas no momento precisa de voluntários e parcerias. Segundo uma das representantes do Centro, Patrícia Fuchter, o CVV voltou a se organizar no ano passado, depois de ficar algum tempo sem funcionamento.

Agora, cerca de 20 pessoas trabalham voluntariamente para reestruturar o Centro. “É um grupo de pessoas com o interesse de implantar o CVV em Rio do Sul, porque sabemos do número alto de suicídios e tentativas de suicídio”, comentou Patrícia.

O Sul do Brasil é a região com maior índice de suicídio. É uma questão de saúde pública, que pode ser revertida com acolhimento a pessoas que estão passando por momentos difíceis e pensam em desistir da vida. Em todo o país, o CVV atende, pelo telefone disponível 24 horas por dia, pessoas em crise. Em Rio do Sul, o CVV ainda não tem sede no momento e não tem a linha 141, a linha telefônica do atendimento 24 horas que é regional, mas incentiva a valorização da vida em palestras e fornecendo o curso de voluntariado.

Um grupo de 30 pessoas está fazendo o curso de voluntariado do CVV, que termina em julho, mesmo assim, não é garantia que esse mesmo número de pessoas continue o trabalho como voluntários no CVV, por isso a demanda mais latente do Centro agora é a ampliação de voluntariado. “A nossa maior dificuldade agora é o número de voluntários, que ainda é pequeno. Depois tem a questão jurídica […] O CVV não é ligado a nenhum momento político ou religioso, mas nós procuramos parcerias”, afirmou Patrícia. Para ser um voluntário do CVV de Rio do Sul é preciso fazer um curso de capacitação. O curso é gratuito e o futuro voluntário só precisa dedicar algumas horas da semana para os atendimentos. Candidatos podem entrar em contato com um dos voluntários pelo telefone (47) 99624-5580.

 

A vida é bela

Uma organização não governamental de Rio do Sul também se preocupa com a prevenção de suicídio. A Ong A Vida É Bela é um pronto-socorro emocional, que atende pessoas que perderam a alegria de viver, na perspectiva de tratar a fonte do problema. Em uma sala que fica no centro de Rio do Sul, as pessoas podem ser atendidas pessoalmente, com horário marcado, por pessoas qualificadas.

A Ong, que existe há cerca de nove anos, já atendeu muitas pessoas. Mesmo assim, um dos idealizadores do projeto, Edison de Andrade, afirma que a ideia não é pensar na quantidade, mas na qualidade do atendimento que é prestado. “Não importa para mim se eu atendo a dois ou 20 pessoas em um mês, digo isso com sinceridade. O importante é que a que a pessoa nos telefone, nos procure no escritório e ela será bem atendida”, comentou. O telefone para agendar atendimento na ONG A Vida É Bela é 3522-6000/ 99988-6808.

Suellen Venturini


Dois homens são presos por matar jovem em Rio do Sul

Novo Secretário de Saúde é apresentado em Agrolândia

Prefeito Thomé vai a Brasília em busca de recursos para obras

Sesc inicia Campanha do Agasalho 2017