Alto Vale
Foto: Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

Uma nova ponte de acesso à cidade e a reforma de outras duas, foram pauta de uma visita de três representantes da Defesa Civil de Santa Catarina ao município de Petrolândia. A gerente de Restabelecimento e Reconstrução do órgão, Fernanda Patrícia de Oliveira, o engenheiro civil Norberto Antônio Chaves, e o coordenador regional da Defesa Civil João Henrique Sabino, foram à campo para conhecer as necessidades de melhorias das duas pontes, localizadas no Centro e no acesso ao parque de exposições. Eles receberam também a solicitação da reforma da ponte de acesso à SC-110 e BR-282, e a construção de uma nova estrutura de ligação ao município, que deve funcionar como rota alternativa.

De acordo com a prefeita interina, Ângela Adriana da Mota, o primeiro local visitado foi a ponte de acesso ao município, ela explica que a preocupação é com possíveis emergências, já que não existe uma outra forma mais rápida de chegar ao hospital, por isso a opção de construção de uma nova estrutura que daria acesso à cidade e serviria como alternativa caso a principal apresentasse problemas. Ângela explica ainda que hoje a única ponte existente já precisa passar por recuperação. “Levei o pessoal para dar uma avaliada nessa ponte, pois normalmente quando dá enxurrada no Rio do Jango, Rio Corrente e na Serra Grande ela acaba não tendo vazão e realmente extravasa, acaba entrando água em algumas casas e comércio. A gente foi ver o que podemos fazer e provavelmente vamos estar colocando dois kits de transposição novos”, avalia.

A nova estrutura que está sendo planejada deve ficar no mesmo local que já foi traçado para a construção há cerca de 30 anos segundo Ângela, e na visita os representantes tiveram a oportunidade de tirar as medidas e recolher as informações necessárias para a nova obra. “É uma obrigação ter um segundo acesso, pois se acontecer alguma coisa com aquela ponte nós não temos passagem para sair da cidade, ou caso quisesse sair teria que fazer uns 14 quilômetros a mais então em uma emergência para chegar até o hospital é complicado. Fora que dá acesso a SC-282”, justifica.

Questionada sobre o projeto e prazos para a construção, Ângela comenta que o projeto está sendo finalizado e que ainda não existe um prazo, pois a demanda foi encaminhada para a Defesa Civil e aguarda a decisão do órgão quanto a disponibilização de valores. “Não descartei a possibilidade de conseguir as três pontes pela Defesa Civil, mas ainda estamos em processo de negociação até porque para que eles comecem a refazer a ponte que já temos, a nova tem que estar pronta. A gente está montando todos os ofícios para a Defesa Civil para ver se dá certo, se não der certo para conseguirmos a nova aí sim terei que fazer um projeto e verificar toda a questão de valores para fazer com recursos próprios da prefeitura” explica.

Para reformas na ponte do Centro da cidade e na ligação ao parque de exposições, Ângela diz que a Defesa Civil já garantiu fazer com recursos próprios, ela explica que já foi solicitada a reserva dos kits de transposição, que são fornecidos pelo órgão, para os dois locais e que em até 15 dias deve receber a resposta da gerente de Restabelecimento e Reconstrução, confirmando o momento em que os trabalhos devem ser iniciados.

Na ponte do centro da cidade, a prefeita interina, explica que o afunilamento do rio causa transbordamentos, além disso para a melhoria do fluxo principalmente de grandes veículos foi solicitada a colocação de dois kis de transposição de oito metros de largura cada, um ao lado do outro para que a estrutura fique com uma largura total de 16 metros, o que deve desafogar e facilitar a passagem de automóveis.

A ponte que dá acesso à creche e ao parque de exposições foi construída de forma provisória e apresenta problemas nas duas cabeceiras, lá devem ser colocados dois novos kits de transposição de oito e seis metros, totalizando uma ponte de 14 metros.