Alto Vale
Foto: Divulgação

O primeiro caso autóctone de dengue, ou seja, de transmissão local, foi descartado em Aurora. O resultado da contraprova do exame do paciente foi negativo e foi divulgado na semana passada. Agora autoridades de saúde ainda tentam descobrir se o homem tem alguma outra doença.

O paciente, um senhor de 50 anos, morador do interior de Aurora apresentou sintomas no final do mês de março. A primeira coleta foi realizada e veio com o resultado positivo. Como o homem não havia viajado para áreas de proliferação do mosquito e da doença, e próximo da residência dele haviam sido encontradas larvas do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, a Vigilância Epidemiológica do Estado pediu que se fizesse uma nova coleta.

Até então havia suspeita de que esse poderia ser o primeiro caso autóctone de transmissão da doença, ou seja, a doença teria sido contraída no próprio município. Segundo a enfermeira responsável pelo posto de saúde de Aurora, Ana Paula Sebold Zimmermman, na cidade nunca foram encontrados mosquitos transmissores da dengue e sim larvas em locais com acúmulo de água, por isso não é considerado um município com infestação, e esse protocolo de recoleta em casos de pacientes com sintomas e que não tenham viajado sempre existiu. “Em um primeiro momento o exame deu positivo e no exame de contraprova deu negativo. Isso pode acontecer por várias hipóteses, existem outras doenças agudas como a leptospirose, covid-19, citomegalovírus e toxoplasmose que pode acontecer um cruzamento antigênico no resultado do exame e pode apresentar um falso positivo. Isso nos dá tranquilidade para dizer que o paciente testou negativo para dengue, não temos casos autóctones no município”.

Ana Paula explica que os sintomas da dengue, da Covid-19 e da leptospirose são muito parecidos e podem causar confusão na hora do diagnóstico. “Os sintomas aparecem com uma febre alta inespecífica, dor no corpo e articulações, dores de cabeça agudas, são sintomas múltiplos e podem servir e ser hipótese diagnóstica para várias doenças. Foi o que aconteceu com esse paciente, como ele tinha inúmeros sintomas fizemos a coleta para várias doenças, faltando os resultados apenas de citomegalovírus e toxoplasmose que também podem ser doenças com o cruzamento antigênico”, finalizou a enfermeira.